Com conflito, governo brasileiro teme aumento do preço de fertilizantes

Procurado pela CNN, o Ministério da Agricultura informou que acompanha a situação na Ucrânia após invasão russa

Cerca de 85% da demanda de fertilizantes do Brasil é fruto de importações
Cerca de 85% da demanda de fertilizantes do Brasil é fruto de importações Reuters/Paulo Whitaker (06/02/2014)

Gustavo UribeThais Arbexda CNN

Ouvir notícia

O governo brasileiro tem manifestado preocupação com a possibilidade de aumento do preço de fertilizantes diante do cenário de sanções econômicas à Rússia por causa dos ataques à Ucrânia.

Segundo relatos feitos à CNN, o Ministério da Agricultura tem mantido contato desde a manhã desta quinta-feira (24) com exportadores do produto e diplomatas brasileiros para avaliar o impacto do conflito sobre a balança comercial brasileira.

O receio é de que a interrupção das exportações pela Rússia e pela Belarus elevem o preço do produto, prejudicando a safra brasileira deste ano.

Para evitar o cenário de escassez, o governo brasileiro tem discutido aumentar a importação de países como Canadá e Irã, já que não tem atualmente estoque suficiente no país.

O Brasil importa mais de 80% dos fertilizantes utilizados na produção agrícola. No caso dos fertilizantes com potássio, a dependência chega a 96%. A Rússia é uma das maiores produtoras de fertilizantes do mundo, junto com China, Marrocos e Belarus.

Na semana passada, a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, viajou ao Irã na tentativa de aumentar a importação de ureia, usada como fertilizante. No ano passado, a ministra viajou ao Canadá, um dos principais fornecedores globais de potássio.

Hoje, além da Rússia e da Belarus, apenas o Canadá produz o potássio adequado para a produção brasileira.

Os técnicos do governo brasileiro apontam, no entanto, que o esforço para compensar a importação de fertilizantes pode não ser suficiente para evitar impactos na produção agrícola brasileira. Segundo eles, os portos brasileiros enfrentam atualmente dificuldades para o recebimento de cargas internacionais.

Nesta quinta-feira (24), técnicos do Ministério da Agricultura entraram em contato também com a secretaria nacional dos Portos, do Ministério da Infraestrutura.

Caso ocorra um atraso na entrega, um gargalo logístico no desembarque cria o risco de os produtores brasileiros não receberem a tempo o produto para o período de plantio, prejudicando a safra deste ano.

Eles salientam ainda que as operações costumam ocorrer ao longo do primeiro semestre. Caso elas fiquem concentradas para o mês de julho, por conta de atrasos causados pelo conflito armado, os riscos deverão se acentuar.

Após semanas de tensão, a Rússia atacou a Ucrânia, gerando reações de líderes mundiais e da Otan. Explosões e sirenes foram ouvidas em pelo menos 16 regiões do país, incluindo a capital, Kiev, e em áreas separatistas do leste ucraniano.

Procurado pela CNN, o Ministério da Agricultura informou que acompanha a situação.

Mais Recentes da CNN