Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Com Ômicron e sem desfiles, Carnaval de 2022 movimentará 33% menos, diz CNC

    Em valores absolutos, o Carnaval de 2022 terá um faturamento próximo aos R$ 6,45 bilhões; em média, evento costumava movimentar R$ 9,5 bilhões

    Economistas ouvidos pela CNN explicam que a inflação de alguns itens vai ajudar a reduzir o faturamento do Carnaval em 2022
    Economistas ouvidos pela CNN explicam que a inflação de alguns itens vai ajudar a reduzir o faturamento do Carnaval em 2022 Fernando Frazão/Agência Brasil

    Lucas Janoneda CNN

    Rio de Janeiro

    Ouvir notícia

    Ainda impactado pela Covid-19 e pelo cancelamento dos desfiles nas principais capitais brasileiras, o Carnaval de 2022 deve movimentar um valor 33% menor, quando comparado com o mesmo feriado de 2020, antes da pandemia ser decretada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

    Os dados fazem parte da estimativa realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), divulgada nesta segunda-feira (14).

    Em valores absolutos, o Carnaval de 2022 terá um faturamento próximo aos R$ 6,45 bilhões. Antes da crise sanitária, o evento nacional costumava movimentar, em média, R$ 9,5 bilhões em receitas.

    Segundo a projeção da CNC, o segmento de bares e restaurantes, deverá girar R$ 2,78 bilhões. O transporte de passageiros rodoviário (R$ 1,55 bilhão) e os serviços de hospedagem (R$ 660 milhões) aparecem na segunda e terceira posição, respectivamente, entre os segmentos mais representativos para o faturamento do evento.

    Esse resultado está relacionado ao temor da variante Ômicron e ao cancelamento dos desfiles no sambódromo.

    Um levantamento da Agência CNN mostra que 24 capitais e o Distrito Federal já anunciaram oficialmente que o Carnaval deste ano foi suspenso ou adiado.

    Entre elas estão Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador, cidades que concentram as principais festas do Brasil.

    Além disso, a pesquisa cita o menor poder aquisitivo entre os brasileiros, em função do cenário econômico atual.

    A inflação e a instabilidade política são os dois principais motivos sugeridos pelo levantamento feito pela CNC.

    “A desaceleração da pandemia e a queda do isolamento social ao longo do ano passado viabilizaram a recuperação gradual da atividade econômica do setor. Entretanto, os impactos adversos decorrentes da deterioração das condições econômicas e, principalmente, a chegada de uma nova variante do novo coronavírus passaram a limitar o ritmo de recuperação do setor no fim do ano passado”, destaca um trecho do estudo.

    Economistas ouvidos pela CNN explicam que a inflação de alguns itens vai ajudar a reduzir o faturamento do Carnaval em 2022.

    Utilizando dados do IBGE, eles destacam o custo das passagens aéreas e bebidas alcoólicas, que impactados pelo indicador, cresceram 23,4% e 12,8%.

    Mais Recentes da CNN