Companhias aéreas já transportaram milhões de vacinas no país; veja como é feito

Empresas não cobram pelo serviço; grupo Latam alcança marca de 50 milhões de doses transportadas

Embarque de vacinas contra Covid em voo da Latam
Embarque de vacinas contra Covid em voo da Latam Foto: Divulgação / Latam

Thiago Vinholes, colaboração para CNN Brasil Business

Ouvir notícia

 

Das 90 milhões de doses de vacinas contra a Covid-19 transportadas pelo céu do país, 51% foram transportadas em aviões da Latam. Já a Azul Linhas Aéreas fez, até o momento, o transporte de cerca de 18 milhões de doses.

A Gol, alegando questões estratégicas, preferiu não divulgar a quantidade de imunizantes que já carregou em suas aeronaves. A reportagem não conseguiu contato com a VoePass (ex-Passaredo) que também está atuando nesse sentido de forma gratuita.

Fato é que muitos passageiros que estão viajando de avião na pandemia nem imaginam que suas malas podem estar dividindo espaço com caixas de imunizantes no compartimento de bagagens, que fica localizado na barriga dos aviões.

De acordo com a diretora de sustentabilidade da Latam Brasil, Gislaine Rossetti, as aeronaves não precisam passar por modificações para transportar as vacinas.

“Os imunizantes são transportados em caixas térmicas, que podem ser alocadas no compartimento de cargas ou até mesmo na cabine de passageiros sem problemas. A Latam também realiza um planejamento para que o transporte de vacinas não impacte as bagagens despachadas e vice-versa”, afirma.

 

Ao todo, a companhia já transportou 50 milhões de doses contra a Covid-19 de forma gratuita no Brasil, Chile, Equador e Peru. Esse número corresponde a 40% de todas as doses de imunizantes transportadas por via aérea no continente e 2% em todo o mundo, de acordo com a empresa. “É uma oportunidade de contribuirmos ativamente no combate à pandemia”, diz a executiva.

Além de imunizantes, a companhia já transportou mais de 1,8 mil profissionais de saúde e pacientes com necessidades médicas urgentes e cerca de 570 toneladas de suprimentos médicos (incluindo insumos hospitalares e vacinas).

“O voo com mais vacinas transportadas via Avião Solidário foi na rota Guarulhos-Galeão em 23 de fevereiro, com 2 milhões de doses de vacinas recém-chegadas ao Brasil para a Fiocruz. Já o voo com maior distribuição direta de vacinas a um estado brasileiro foi o voo na rota Guarulhos-Salvador em 1º de abril, com quase 607 mil doses de vacinas”, contou a executiva. 

A Latam deve superar, em breve, a marca de 600 voos transportando vacinas pelo Brasil, já que até o dia 21 de junho já tinham sido realizados 594 voos.

Mais Recentes da CNN