Crise na Febraban é ‘triste e lamentável’, diz ex-economista-chefe da entidade

Aderência ao manifesto em favor da harmonia entre os Poderes gerou a ameaça de saída da federação por parte do Banco do Brasil e da Caixa

Vinícius Tadeuda CNN*

São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN, o ex-economista-chefe da Federação Brasileira de Bancos (Febraban) Roberto Luis Troster afirmou que a crise na mesma é “triste e lamentável”. A aderência ao manifesto proposto pela Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) em favor da harmonia entre os Poderes gerou a ameaça de saída do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal da Febraban.

De acordo com Troster, as federações deveriam agir em prol da “discussão do Brasil”, o que não tem acontecido. “A economia está mal e não estamos fazendo nada”, disse.

“Não podemos deixar que o projeto de futuro do Brasil fique em Brasília.”

O presidente da Fiesp, Paulo Skaf, disse à CNN Brasil que a publicação de manifesto solicitando a harmonia entre os Três Poderes foi prorrogada para que haja a possibilidade de ter novas adesões.

Paulo Guedes

Já o ministro da Economia Paulo Guedes disse que teria partido da Febraban o tom crítico do manifesto proposto pela Fiesp. No entanto, Troster opinou que “fazer uma crítica faz parte do dia a dia”.

“Não dá para agradar todo mundo sempre.”

(*sob supervisão de Elis Franco)

Mais Recentes da CNN