Décio Oddone é convidado para a Petrobras, mas recusa

Executivo é o segundo nome a recusar o comando da estatal, que tem assembleia de acionistas marcada para quarta-feira da semana que vem, dia 13 de abril

Oddone já assumiu compromissos no setor privado
Oddone já assumiu compromissos no setor privado 20/02/2018REUTERS/Paulo Whitaker

Raquel Landimda CNN

Ouvir notícia

Decio Oddone, ex-presidente da Agência Nacional de Petróleo (ANP), foi convidado a assumir a presidência da Petrobras, mas recusou, relataram à CNN fontes envolvidas no processo de escolha. Oddone não quis comentar.

O convite foi feito ontem pelo ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque. Oddone, no entanto, não aceitou por causa dos compromissos que já assumiu no setor privado. O executivo é CEO da Enauta, empresa do setor de óleo e gás.

Oddone é o segundo nome a recusar o comando da Petrobras. Nesta segunda-feira (4), o consultor Adriano Pires também desistiu da indicação depois da área de compliance da Petrobras identificar conflito de interesses.

Pires é dono da consultoria Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), que tem contratos com empresas concorrentes da Petrobras.  Para assumir a estatal, ele teria que vender sua consultoria.

Oddone é um caso um pouco diferente porque poderia deixar o cargo e romper os vínculos com a Enauta. Mas a pressa do governo de encontrar um nome inviabilizou que o executivo aceitasse.

A assembleia de acionistas da Petrobras está marcada para quarta-feira da semana que vem, dia 13 de abril. O presidente Jair Bolsonaro decidiu substituir o atual CEO da estatal, general Joaquim Silva e Luna, depois que a Petrobras reajustou os preços dos combustíveis para compensar a alta do petróleo provocada pela guerra da Ucrânia.

Mais Recentes da CNN