Decreto regulamenta novo Marco Legal do Saneamento Básico

Texto que regulamenta o novo Marco Legal do Saneamento Básico define repasses a governos locais para apoiar licitações

Obra de saneamento em Joinville (SC)
Obra de saneamento em Joinville (SC) Foto: Mauro Artur Schlieck / Prefeitura da Joinville

Da Agência Brasil

Ouvir notícia

 

Cinco meses após a sanção do novo Marco Legal do Saneamento Básico, o presidente Jair Bolsonaro editou, nesta quinta-feira (24), decreto para regulamentar os repasses a governos locais para apoiar licitações.

Leia também:
Quase metade dos brasileiros não tem rede de esgoto; acesso à água pouco avança

Governo do RJ fará avaliação da carga de Covid-19 na água e no esgoto

O decreto define as regras para que a União envie recursos e ofereça apoio técnico para que estados e municípios se adaptem às novas regras do setor de saneamento. O texto também estabelece uma série de atividades a serem executadas pelo governo federal para facilitar a transição dos governos locais ao novo modelo.

O novo Marco Legal do Saneamento Básico torna regra a realização de licitações para contratação de companhias de água e esgoto. Pelo novo modelo, a iniciativa privada passará a disputar as concorrências em igualdade de condições com as estatais locais.

Como no Brasil, a responsabilidade pelo saneamento cabe aos municípios ou a consórcios de municípios, o novo modelo prevê que a União forneça apoio técnico e financeiro aos governos locais para a formulação dos processos de licitação.

Segundo o decreto, os governos locais precisam cumprir critérios para receber a ajuda técnica e os repasses da União, como a obediência a normas da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e o comprometimento com a regionalização do serviço de saneamento.  

Mais Recentes da CNN