Solução para aumento do gás seria tributar as petrolíferas, diz político americano

Para Patrick Gaspard, objetivo é evitar que empresas lucrem com o ataque da Rússia à Ucrânia enquanto a população americana sofre com os preços

Congresso deve implementar um imposto temporário sobre lucros inesperados das petrolíferas
Congresso deve implementar um imposto temporário sobre lucros inesperados das petrolíferas 19/12/2004REUTERS/Sergei Karpukhin

CNN Business*

Ouvir notícia

Nota da redação: Patrick Gaspard é o presidente e CEO do Center for American Progress. Exerceu cargo de congressista pelo partido Democrata entre os anos de 2009 e 2011 e já foi diplomata na África do Sul representando os Estados Unidos. As opiniões expressas neste texto são dele.

O presidente Joe Biden liderou uma campanha bem-sucedida para cortar a Rússia da economia global, com congelamento de ativos, controles de exportação e proibição de importações de petróleo russo. Embora isso tenha tido um impacto devastador na economia russa, não há como negar que os americanos também estão sentindo as reverberações.

Os preços do gás subiram quase US$ 0,70 por galão em um período de duas semanas após a invasão. Os preços na bomba se estabilizaram desde então, mas ainda são mais de US$ 4 por galão. Biden respondeu anunciando a liberação de petróleo da Reserva Estratégica de Petróleo do país para aumentar a oferta e baixar os preços.

A medida, juntamente com os esforços dos aliados dos EUA no exterior, adicionará mais de um milhão de barris de petróleo por dia ao fornecimento. Ainda assim, o presidente e o Congresso devem ir mais longe no combate aos aumentos de preços.

Uma maneira de fazer isso é decretar um imposto temporário sobre lucros inesperados das grandes empresas petrolíferas e os bilhões de dólares que a indústria vem arrecadando.

As gigantes do petróleo Shell, BP, ExxonMobil e Chevron registraram mais de US$ 75 bilhões em lucros no ano passado. Só a ExxonMobil faturou US$ 8,9 bilhões nos últimos três meses de 2021. Isso ocorre após sustentar a economia de combustível fóssil de Putin por anos.

A subsidiária da ExxonMobil, Exxon Neftegas Limited, tem participação em um projeto de petróleo e gás que gerou bilhões em pagamentos aos governos federal e regional da Rússia. A BP, por sua vez, possui um quinto da Rosneft, a petrolífera estatal russa, desde 2013, embora tenha dito que venderia sua participação.

A Shell tem participação em um projeto de petróleo e gás controlado pela empresa russa de energia Gazprom, enquanto a Chevron possui uma participação em um empreendimento de oleodutos lá.

Essas empresas estão em condições de lucrar com o ataque da Rússia à Ucrânia. Bombear petróleo custa a mesma quantia, mas agora eles podem vendê-lo a preços impulsionados pela guerra. Eles estão usando os lucros inesperados resultantes para aumentar os pagamentos aos acionistas por meio de recompras e dividendos.

Quando desafiados durante uma audiência no Congresso na semana passada, os CEOs do petróleo deixaram claro que não vão se conter.

É por isso que o Congresso deve implementar um imposto temporário sobre lucros inesperados que, de acordo com um novo relatório do Centro para o Progresso Americano (CAP), poderia trazer dezenas de bilhões de dólares para ajudar a custear os gastos com combustíveis para as famílias. O imposto aumentaria ou diminuiria à medida que os preços flutuassem, até que os preços voltassem aos níveis pré-crise.

Atualmente, as companhias de petróleo ganham mais dinheiro quando os preços aumentam. Mas se a taxa de imposto das companhias petrolíferas aumentasse junto com o preço da commodity, o lucro inesperado seria recapturado e poderia ser devolvido aos consumidores americanos por meio de um pagamento direto, por exemplo.

Esta proposta seria uma resposta temporária a uma extraordinária crise energética internacional. O Congresso poderia garantir que o imposto sobre lucros inesperados desaparecesse assim que os preços do petróleo voltassem aos níveis normais (US$ 75 por barril de petróleo, de acordo com a análise do CAP).

Mas esta não será a última vez que o consumidor americano será atingido por custos voláteis de energia, especialmente se continuarem tão dependentes do petróleo. A longo prazo, o Congresso também deve investir na construção de uma economia de energia limpa.

É hora de fazer as empresas petrolíferas pagarem sua parte justa e aliviar um pouco o fardo do consumidor americano. A ação mais imediata que o Congresso deveria tomar é decretar um imposto temporário sobre lucros inesperados que garanta que as companhias petrolíferas não absorvam lucros para si mesmas às custas das famílias americanas.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN