Spotify perde R$ 15 bi em valor de mercado após artistas ameaçarem deixar plataforma

Apresentador do podcast “Joe Rogan Experience", fez alegações falsas e imprecisas sobre as vacinas contra o coronavírus

Desde terça-feira, as ações do Spotify desvalorizaram mais de 4,5%
Desde terça-feira, as ações do Spotify desvalorizaram mais de 4,5% 18/02/2014REUTERS/Christian Hartmann/

Artur Nicocelido CNN Brasil Business*

São Paulo

Ouvir notícia

Os investidores do Spotify estão vendo seus papéis derreterem conforme o mercado precifica as notícias sobre ameaças de artistas de deixar a plataforma, caso não haja um controle sobre informações falsas sobre a vacina da Covid-19.

A companhia perdeu aproximadamente US$ 2,9 bilhões (R$ 15 bilhões), em valor de mercado, de terça-feira (25) até o fechamento da última sexta-feira – em resposta às ameaças do músico Neil Young em tirar suas músicas da plataforma, por conta do podcast “Joe Rogan Experience”.

O apresentador Joe Rogan, dono do podcast, fez alegações falsas e imprecisas de forma frequente sobre o imunizante. Em um dos episódios, ele sugeriu que jovens saudáveis ​​não devem necessariamente ser vacinados contra a doença.

Em uma declaração agora excluída em seu site, a Rolling Stone informou que Young, de 76 anos, disse que as consequências estavam “potencialmente causando a morte daqueles que acreditam que essa desinformação se espalhou”, acrescentando: “Eles podem ter Rogan ou Young. Não os dois”.

Desde terça-feira, as ações do Spotify desvalorizaram mais de 4,5%. Na sexta-feira (28), os ativos fecharam a R$ 231,15, com queda de 0,90%.

Artistas acompanham

A cantora e compositora Joni Mitchell se juntou a Young e afirmou que removerá suas músicas da plataforma. Juntos, Young e Mitchell têm quase 10 milhões de ouvintes mensais no Spotify.

“Pessoas irresponsáveis ​​estão espalhando mentiras que estão custando a vida das pessoas”, escreveu a cantora canadense em um comunicado publicado em seu site na sexta-feira (28). “Sou solidária com Neil Young e as comunidades científicas e médicas globais nesta questão”.

Além dos musicistas, o Príncipe Harry e Meghan Markle também pressionaram o serviço de streaming. O casal expressou suas “preocupações” sobre a desinformação.

“Continuamos expressando nossas preocupações com o Spotify para garantir que mudanças em sua plataforma sejam feitas para ajudar a lidar com essa crise na saúde pública”, disse um porta-voz da Archewell, fundação do príncipe Harry, em comunicado.

Posicionamento

O Spotify já anunciou que está adicionando um aviso de conteúdo a qualquer episódio de podcast que inclua discussões sobre a Covid-19. O comunicado direcionará os ouvintes para um ‘hub Covid-19’ que incluirá links para fontes confiáveis.

A companhia também divulgará pela primeira vez publicamente suas regras de longa data, que foram originalmente desenvolvidas por sua equipe interna.

“Essas são as regras para guiar todos os nossos criadores – daqueles com quem trabalhamos exclusivamente àqueles cujo trabalho é compartilhado em várias plataformas”, disse o CEO e cofundador, Daniel Ek, em comunicado.

*Com informações de Ramishah Maruf, Max Foster, Vasco Cotovio e Rob Picheta, do CNN Business

Mais Recentes da CNN