Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Entenda o que é CDI e o que significa o seu rendimento

    Descubra como funciona esse indexador do mercado financeiro e como ele influencia na prática a rentabilidade dos seus investimentos

    Foto: Getty Images/Jorg Greuel

    Da CNN

    Na sopa de letrinhas do mercado financeiro, a dúvida sobre o que é CDI está entre as mais comuns. Ao contrário do que se possa imaginar, ele não é um investimento ao alcance das pessoas.

    Na verdade, ele é um título privado que apenas os bancos podem negociar entre si. Então, qual a utilidade dele para os investidores?

    Saiba exatamente o que é CDI, como funciona esse indexador, como ele é calculado e a sua finalidade, bem como a influência dele em seus investimentos ao longo deste conteúdo.

    O que é CDI e como funciona?

    CDI é a sigla para Certificado de Depósito Interbancário, que significa um título emitido pelos bancos para dar lastro às transações entre eles.

    Esse certificado foi criado durante o período de inflação descontrolada, nos anos 1980, e segue sendo usado para garantir estabilidade no setor financeiro.

    Porém, a sigla CDI aparece para o público não para tratar sobre os certificados emitidos entre os bancos, mas para revelar a rentabilidade de investimentos.

    Essa rentabilidade é medida pela taxa CDI, que é uma média feita a partir das transações entre os bancos.

    Portanto, o que interessa para as pessoas é a taxa do CDI. Mas para entender como ela é gerada, é preciso compreender primeiro essas transações entre bancos e por que elas acontecem.

    Relação entre CDI, Selic e taxa DI

    Entenda a relação entre CDI, Selic e taxa DI - Foto: Shutterstock
    / Entenda a relação entre CDI, Selic e taxa DI – Foto: Shutterstock

    Qual é a relação entre CDI e outros indicadores fundamentais no mercado?

    Nessas operações de crédito entre bancos, citadas anteriormente, cada instituição que vai ceder o empréstimo define qual taxa será aplicada nessa operação.

    A média das taxas praticadas entre os bancos no dia é a taxa DI ou taxa do CDI. Sua finalidade original é indicar quanto o banco credor deve receber de juros pelo empréstimo que fez aos concorrentes.

    Porém, o mercado financeiro decidiu usá-la também para estipular a rentabilidade dos investimentos em renda fixa.
    E, hoje, quando falamos de CDI, falamos mais da sua taxa do que do certificado de um título privado.

    As taxas do CDI usam a Selic como referência. Essa taxa é calculada pelo próprio Banco Central e incide sobre a rentabilidade dos títulos públicos, ou seja, quanto mais alta a Selic, mais rentáveis são os juros pagos por esses títulos.

    A taxa do CDI sempre vai seguir a tendência da Selic e caminhar próxima dela porque elas competem pelo dinheiro dos bancos.

    Se a taxa do CDI se afastar muito da Selic, ela perde a atratividade para os bancos, que passam a direcionar o seu dinheiro para os títulos públicos em vez de comprar os certificados de empréstimos bancários.

    Simplificando: os bancos direcionam seu dinheiro sempre para aquilo que oferece a maior rentabilidade.

    Neste contexto, se a Selic for muito maior que a taxa do CDI, a tendência é que os bancos prefiram investir em títulos públicos, ou seja, vão preferir emprestar dinheiro ao governo, que está pagando mais, do que aos outros bancos.

    Pensando no cenário oposto, se a taxa do CDI estiver muito alta, a remuneração dos títulos atrelados ao Certificado e paga pelos bancos sobe.

    Assim sendo, as instituições financeiras teriam que pagar mais aos credores, o que também não é o melhor dos mundos para os bancos.

    Uma vez entendido o que é CDI, vale se atentar a outras siglas bastante conhecidas no mundo dos investimentos, como o CDB (Certificado de Depósito Bancário).

    Tanto CDI quanto CDB são usados pelos bancos para captar dinheiro no mercado. A diferença é que o CDB é, de fato, um investimento, enquanto o CDI é apenas um indexador.

    O CDB é um título aberto ao público, ou seja, o investidor pode comprar um título como esse e ganhar dinheiro com ele, a depender da rentabilidade.

    No caso dos CDBs pós-fixados, a rentabilidade vai depender diretamente da taxa do CDI.

    Já no caso do CDI, o investidor não pode investir diretamente nele porque, enquanto investimento ele serve apenas para os bancos realizarem transações de curtíssimo prazo entre eles.

    E, como indexador, apenas empresta a sua taxa para calcular a rentabilidade dos investimentos em renda fixa.

    Como o CDI afeta a vida das pessoas e seus investimentos?

    Se um cidadão não pode investir em CDI, como o índice pode afetar as aplicações que ele faz? Esse é um ponto importante para entender de maneira aprofundada o que é CDI.

    A resposta é simples.

    O que acontece é que os bancos usam a taxa para regular o rendimento de alguns investimentos, por isso ela acaba influenciando nas aplicações financeiras.

    Como o CDI afeta a vida das pessoas e seus investimentos? - Foto: Shutterstock

    / Como o CDI afeta a vida das pessoas e seus investimentos? – Foto: ShutterstockNa prática, a taxa funciona como um dos principais índices de referência entre investimentos de renda fixa. Aqui, vale destacar que existem dois tipos de aplicações:

    • Investimentos pré fixados: nesta categoria, a taxa de rendimento é definida no momento em que o investidor escolhe a aplicação financeira;
    • Investimentos pós-fixados: aqui, a rentabilidade é determinada no vencimento do investimento, com base em um índice de referência, como o CDI.

    Para quem é investidor em renda fixa, a alta da taxa do CDI é sempre interessante. Afinal, ela significa que os investimentos vão ter um rendimento igualmente alto.

    Contudo, para a economia como um todo, altas no CDI podem significar um problema, porque refletem um aumento no custo do crédito.

    Ou seja, quanto mais alta a taxa, maiores os rendimentos para quem investe, porém, mais caro o crédito para quem pede emprestado ou faz um financiamento, por exemplo.

    Portanto, o índice não impacta apenas os investimentos, mas é também considerado uma taxa de juros, influenciando diretamente o mercado financeiro de maneira geral.

    Como a taxa do CDI é calculada?

    A taxa tinha a proposta de disciplinar os empréstimos interbancários. Só mais tarde passou a ser usada como taxa de indexação para investimentos em renda fixa, como CDB, letras financeiras, debêntures, entre outros.

    Os investimentos que usam o CDI como meta de desempenho se propõem a pagar um percentual dessa taxa.

    Essa taxa é diária e quem faz o cálculo sobre ela é a B3, empresa que administra a Bolsa de Valores de São Paulo.

    A B3 faz a média das taxas de juros praticadas pelos bancos naquele dia para os empréstimos interbancários de curtíssimo prazo. Essa média é a taxa do CDI do dia.

    Esse índice é prefixado e quem faz a sua divulgação é a Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos Privados (Cetip).

    A Central é responsável pela infraestrutura e tecnologia que permite ao mercado financeiro funcionar. Ela também supervisiona e fiscaliza as operações financeiras de empresas e investidores.

    Na hora de calcular a rentabilidade de um título indexado pela taxa do CDI, é levado em conta o acumulado das taxas ao longo de um determinado período.

    Por isso, existe a taxa do CDI anual, conhecida como CDI Over. É possível calcular a CDI Over por meio do Índice DI, no site da B3.

    O que significa render 100% do CDI?

    Render 100% do CDI acontece quando o investimento paga ao investidor a íntegra da taxa do CDI registrada no período no qual vigorou a aplicação.Isso significa que a aplicação terá a mesma rentabilidade do Certificado de Depósito Bancário até o seu vencimento.

    Há casos que pagam mais ou menos de 100% do CDI. Um título pode render 90%, 50% ou 105% da taxa, por exemplo.

    O que significa render 100% do CDI? - Foto: Pexels/Anna Nekrashevich
    O que significa render 100% do CDI? – Foto: Pexels/Anna Nekrashevich

    Vamos imaginar uma aplicação em um CDB com rendimento 100% do CDI. Se a taxa teve um rendimento anual de 4,42%, como aconteceu em 2021, por exemplo, o investimento terá rentabilidade de 4,42% durante esse mesmo período.

    É importante esclarecer também que neste exemplo não consideramos tarifas e descontos de impostos, algo que pode acontecer em determinados investimentos.

    Caso a aplicação tenha incidência de impostos ou tarifas, o percentual de rentabilidade será de 100%, mas o valor final recebido é menor, uma vez que sofrerá descontos.

    Rendimento do CDI (mensal)

    Essa taxa sempre apresenta variações, por isso o índice também costuma ser indicado mês a mês.

    Este é o chamado CDI mensal, que pode ser acompanhado no site do B3. Até setembro de 2023, os índices registrados foram os seguintes:

    AnoJanFevMarAbrMaiJunJulAgoSetAcumulado
    20231,120,921,170,921,121,071,071,140,699,61

    Rendimento histórico

    Além de verificar o índice mensalmente, é possível conferir o acumulado do ano e também acompanhar o rendimento histórico do CDI.

    A seguir, você pode observar as alterações da taxa entre 2015 e 2022, além de conferir um comparativo com o acumulado da poupança em cada ano:

     

    Mês/Ano2023202220212020201920182017
    Janeiro1,12

    %

    0,73%0,15%0,38%0,54%0,58%1,08%
    Fevereiro0,92%0,76%0,13%0,29%0,49%0,46%0,86%
    Março1,17%0,88%0,20%0,34%0,47%0,53%1,05%
    Abril0,92%0,83%0,21%0,28%0,52%0,52%0,79%
    Maio1,12%1,03%0,27%0,24%0,54%0,52%0,93%
    Junho1,07%1,02%0,31%0,21%0,47%0,52%0,81%
    Julho1,07%1,03%0,36%0,19%0,57%0,54%0,80%
    Agosto1,14%1,17%0,43%0,16%0,50%0,57%0,80%
    Setembro0,69%1,07%0,44%0,16%0,46%0,47%0,64%
    Outubro1,02%0,49%0,16%0,48%0,54%0,64%
    Novembro1,02%0,59%0,15%0,38%0,49%0,57%
    Dezembro1,12%0,77%0,16%0,37%0,49%0,54%
    Acumulado do ano12,39%4,42%2,75%5,96%6,42%9,93%

    Quais são os investimentos atrelados ao CDI?

    Quais são os investimentos atrelados ao CDI? - Foto: Shutterstock
    / Quais são os investimentos atrelados ao CDI? – Foto: Shutterstock

    Como vimos, a rentabilidade do CDI afeta alguns investimentos específicos. Essas aplicações estão atreladas à taxa do Certificado de Depósito Interbancário, considerando o índice como base para definir seu rendimento.

    Entenda a seguir.

    CDBs

    Os CDBs, ou Certificados de Depósitos Bancários, estão entre os investimentos mais conhecidos de renda fixa. Assim como o CDI, ele é um título para emissão de empréstimos, mas aqui a transação acontece de pessoas físicas aos bancos.

    A rentabilidade do CDB pode se encaixar em três categorias:

    • híbrido;
    • prefixado;
    • pós-fixado.

    Entre essas opções, a taxa do CDI costuma ser atrelada aos investimentos com rentabilidade pós-fixada.

    LCAs

    LCA é sigla para Letra de Crédito do Agronegócio. Como o próprio nome revela, esse é um investimento voltado para o setor agrícola.

    Aqui temos um título emitido por bancos, voltado para o financiamento do agronegócio. É também uma aplicação de renda fixa, impactada pela rentabilidade do CDI.

    As Letras de Crédito atreladas ao CDI têm rentabilidade pós-fixada e são isentas de Imposto de Renda para pessoas físicas.

    LCIs

    LCI é sigla para Letra de Crédito Imobiliário. Assim como o LCA, os LCIs também são títulos emitidos por bancos, mas, como o nome também nos mostra, essa aplicação é voltada para o mercado imobiliário.

    Esses investimentos de renda fixa são lastreados em créditos imobiliários, alienação fiduciária ou hipotecas garantidas em financiamentos de imóveis.

    Assim como as Letras de Crédito do Agronegócio, as LCIs também são isentas de Imposto de Renda e as aplicações impactadas pelo CDI são as pós-fixadas.

    Debêntures

    Debêntures são títulos de crédito que também são impactados pelo investimento CDI. Entretanto, esses títulos são emitidos por empresas e não por bancos.

    Normalmente, os debêntures financiam projetos grandes, por isso essas aplicações costumam apresentar uma data de vencimento mais longa do que outros investimentos de renda fixa.

    Muitos desses títulos têm rentabilidade pós-fixada, impactada pela taxa do CDI.

    CRAs

    CRAs é sigla para Certificados de Recebíveis do Agronegócio e são títulos securitizados de renda fixa ligados ao setor agrícola, como empréstimos, por exemplo.

    Muitos investimentos em CRA são atrelados ao CDI e apresentam isenção ao Imposto de Renda.

    CRIs

    O CRIs funciona da mesma forma que o CRAs, mas aqui os títulos estão ligados ao setor imobiliário – a sigla representa Certificados de Recebíveis Imobiliários.

    Na prática, esses títulos são uma maneira de transferir dívidas para outros credores e obter dinheiro mais rapidamente quando necessário.

    Fundos DI

    Com rendimento pós-fixado, os Fundos DI são outro exemplo de investimento atrelado ao CDI, acompanhando as variações da taxa.

    Esses fundos estão espalhados entre diversas subdivisões de aplicações de renda fixa, sendo os Fundos Simples uma das categorias mais conhecidas no mercado.

    Afinal, por que o CDI é um dos principais indicadores financeiros?

    O CDI é responsável pela regulação do sistema financeiro, por isso é um dos principais indicadores do mercado.

    Na prática, os empréstimos têm o objetivo de manter um balanço de caixa diário entre os bancos, garantindo que todos fechem o dia no “azul”.

    Isso é uma determinação do Banco Central: todos os bancos devem terminar o dia com saldo positivo, ou seja, com mais dinheiro entrando do que saindo.

    Explicaremos mais sobre esse processo ao longo deste conteúdo, mas vale reforçar a importância dele para o mercado financeiro.

    Além de assegurar o pagamento de dívidas entre os bancos, essas transações também mantêm o patrimônio dos clientes protegidos.

    Assim como qualquer outro empréstimo, a transação tem juros e a taxa do CDI, vale lembrar, é utilizada para regular investimentos e créditos.

    Por isso, o Certificado de Depósito Interbancário vai além das relações entre bancos, interferindo no mercado de maneira geral e sendo um importante índice financeiro.

    Por que o CDI é um dos principais indicadores financeiros? - Foto: Pexels/Mikhail Nilov
    / Por que o CDI é um dos principais indicadores financeiros? – Foto: Pexels/Mikhail Nilov

    A aplicação em CDI pode ser mais vantajosa do que na poupança?

    Quando consideramos a rentabilidade atual, as aplicações em CDI costumam ser mais vantajosas do que os investimentos na poupança.

    Com o aumento das taxas de juros no Brasil, os investimentos em renda fixa tornam-se mais atrativos, especialmente quando pensamos no seu índice atual.

    A taxa de CDI hoje é de 12,65% ao ano.

    A taxa da poupança, por outro lado, é de 0,6248 % mensal ou 7,76% anual, o que significa, hoje, que ela rende menos do que a taxa do CDI.

    O que saber antes de fazer um investimento em CDI?

    Existem alguns detalhes que demandam uma atenção especial no momento de decidir onde aplicar o seu dinheiro.

    O primeiro passo é avaliar a rentabilidade do investimento atrelado ao CDI, considerando sempre o percentual da taxa no momento da aplicação.

    Além disso, não se esqueça de conferir a categoria do investimento. Se for pós-fixado, por exemplo, a rentabilidade será definida no vencimento.

    Vale acompanhar as variações do investimento CDI para encontrar o melhor momento para investir.

    Como o CDI é usado para regular o sistema bancário?

    O Banco Central exige que toda instituição bancária termine o dia no azul, ou seja, registre mais depósitos do que resgates.

    Isso foi instituído pelo índice de Basileia, que evita que uma instituição financeira termine o dia com saldo negativo no caixa. A proposta dessa regra é reduzir os riscos sistêmicos no mercado financeiro.

    Mas nem sempre os bancos conseguem terminar o expediente com saldo positivo.
    Neste caso, a instituição que está para encerrar o dia no vermelho precisa pedir empréstimo para outros bancos e cumprir a exigência do Banco Central.

    Para pleitear esse empréstimo junto aos concorrentes, o banco precisa emitir um título, o Certificado de Depósito Interbancário (CDI).

    Esse título é utilizado, portanto, apenas entre bancos para garantir empréstimos de curtíssimo prazo, com vencimento de apenas um dia.

    A taxa média de juros praticadas entre os bancos nesse tipo de empréstimo é a taxa CDI e o que realmente importa para a maioria das pessoas, principalmente para os investidores.

    Guia rápido sobre o que é CDI

    Para resumir o que é CDI, como a taxa impacta nos investimentos e como ela funciona na prática, respondemos as principais dúvidas sobre o assunto de forma rápida.

    Confira a seguir.

    O que significa CDI?

    CDI é sigla para Certificado de Depósito Interbancário. É o índice responsável por definir a taxa de juros de empréstimos entre bancos.

    O que é 100% do CDI?

    Quando falamos que um investimento rende 100% do CDI, significa que a aplicação tem retorno igual a taxa do CDI. Ou seja, o rendimento do investimento será o mesmo percentual do CDI em seu vencimento.

    Quanto rende o CDI?

    A rentabilidade do CDI varia de acordo com o investimento e com as variações da taxa, que é atualizada mensalmente.

    O rendimento também considera o histórico do indicador e o acumulado do ano.

    Como calcular o rendimento CDI?

    Para saber como calcular CDI, basta multiplicar a taxa do indicador pela rentabilidade do investimento escolhido.

    Por exemplo, se a aplicação rendesse 80% do CDI, teríamos o seguinte cálculo: 0,8 x 13,65 = 10,92% ao ano.

    Ou seja, nesse cenário, o investimento rende 10,92% ao final do período contratado. Para saber quanto vai receber, basta multiplicar a porcentagem pelo valor investido.

    Qual é a taxa de CDI hoje?

    De acordo com a B3, a taxa de CDI hoje é de 12,65% ao ano.

    Qual a diferença entre CDI e CDB?

    O CDB é um investimento, enquanto o CDI é uma taxa de juros. Isso significa que o CDB é emitido por bancos e o CDI é calculado com base nas taxas de juros interbancárias.

    Resumo

    Para resumir o conteúdo:

    • Sigla para Certificado de Depósito Interbancário, o CDI representa as taxas de juros de empréstimos realizados entre bancos;
    • Apesar de indicar transações realizadas entre instituições financeiras, o índice é também utilizado para definir a rentabilidade de aplicações em renda fixa;
    • O CDI impacta diretamente no retorno de investimentos feitos pelo público geral;
    • Dentre as principais aplicações atreladas ao indicador, temos os CDBs, as LCAs e LCIs, bem como os debêntures e Fundos DI;
    • Na prática, pela alta de juros no país, investir nessas aplicações atreladas ao CDI é vantajoso no cenário atual.
    Tópicos

    Tópicos