Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Inflação dos EUA pelo índice de gastos com consumo sobe a 3,3% ao ano e aumenta preocupações sobre juros

    PCE é o principal indicador usado pelo Fed para definir política monetária; presidente do BC norte-americano já havia adiantado que caso inflação seguisse elevada, alta dos juros persistiria

    Números batem com expectativas de economistas
    Números batem com expectativas de economistas graystudiopro1/Freepik

    Alicia Wallaceda CNN

    Minneapolis

    O índice de Despesas de Consumo Pessoal (PCE, na sigla em inglês) mostrou que os preços nos Estados Unidos aumentaram 0,2% mensalmente e 3,3% anualmente em julho.

    O indicador de inflação é um dos principais observados pelo Federal Reserve (Fed), – o Banco Central dos EUA – usado para definir os rumos da política monetária e da taxa de juros.

    Segundo o relatório divulgado nesta quinta-feira (31) pelo Departamento de Comércio, apesar de a inflação seguir elevada, o movimento do consumidor também esteve em alta, com os gastos subindo em 0,8% no mês passado.

    O salto foi puxado principalmente pelo consumo de serviços e produtos ligados a lazer, como restaurantes, shows, brinquedos, jogos e equipamentos recreativos.

    Ao excluir os preços mais voláteis de energia e alimentos, o núcleo do PCE mostrou que os preços aumentaram 0,2% em relação ao mês anterior e 4,2% nos 12 meses encerrados em julho.

    Os números atenderam as expectativas dos economistas consultados pela CNN.

    A alta anualizada do PCE pode ser atribuída a “efeitos de base”, ou comparações com um período de 2022 no qual a inflação estava arrefecendo depois de ter atingido a máxima dos últimos 40 anos.

    O movimento é similar ao indicado no relatório do Índice de Preços ao Consumidor (CPI, na sigla em inglês) de julho, que registrou aumentos nas taxas de inflação anuais, mas um ganho mensal mais moderado de 0,2%.

    A taxa de 3,3% era esperada após o discurso do presidente do Fed, Jerome Powell, que comentou sobre o dado no simpósio de Jackson Hole.

    Segundo Powell, a inflação subjacente permanece bem acima da meta de 2% do Fed. O presidente da instituição adiantou que caso o índice continue preocupante, o BC dos EUA está pronto para aumentar ainda mais as taxas de juros.

    “Reduzir a inflação de forma sustentável para 2% deverá exigir um período de crescimento econômico abaixo da tendência, bem como algum abrandamento nas condições do mercado de trabalho”, disse Powell.

    Consumidor saudável por quanto tempo?

    Os dados mais recentes sublinham como o consumidor dos EUA permanece resiliente e continua a impulsionar o crescimento econômico.

    Mesmo quando ajustados pela inflação, os gastos dispararam em julho, aumentando 0,6% em relação ao mês anterior.

    No entanto, a base para esses gastos apresenta algumas falhas.

    Os rendimentos pessoais mostraram alguma fraqueza no mês passado, crescendo apenas 0,2% em relação a junho, o que é o menor ganho mensal desde janeiro de 2022.

    Os rendimentos disponíveis não ajustados permaneceram estáveis ​​e, tendo em conta a inflação, tornaram-se negativos em 0,2%.

    A taxa de poupança pessoal caiu para 3,5% em julho, de 4,3% no mês anterior, empurrando a poupança para o nível mais baixo desde outubro de 2022.

    A matéria está em atualização

    Veja também: Dólar fecha quarta (30) em leve alta, na contramão do exterior

     

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original