Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ibovespa fecha com queda de 2,4%, com cautela antes de decisões de juros no Brasil e nos EUA; dólar sobe a R$ 5,04

    Ações da Vale (VALE3) retraíram 3,95%, enquanto papéis preferenciais da Petrobras (PETR4) tombaram 4,05%

    Na última sessão, dólar fechou o dia cotado a R$ 4,989, em alta de 0,18%; Ibovespa avançou 1,47%, aos 104.431 pontos
    Na última sessão, dólar fechou o dia cotado a R$ 4,989, em alta de 0,18%; Ibovespa avançou 1,47%, aos 104.431 pontos Cris Faga/NurPhoto via Getty Images

    Da CNN

    O Ibovespa fechou em queda acentuada nesta terça-feira (2), às vésperas da “super quarta” — data que marca a decisão dos juros do Banco Central e do Federal Reserve.

    O principal indicador da bolsa brasileira encerrou a sessão com queda de 2,4%, aos 101.926 pontos, enquanto o dólar seguiu o caminho oposto e subiu 1,15%, negociado a R$ 5,046 na venda.

    O dia foi marcado pela desvalorização das principais empresas do mercado doméstico. As ações da Vale (VALE3) — papel com maior peso no Ibovespa — retraíram 3,95%. Já as opções preferenciais da Petrobras (PETR4) tombaram 4,05%, enquanto as ordinárias (PETR3) caíram 4,46%.

    A cautela pautou os negócios globais com investidores à espera dos próximos rumos da política monetária no Brasil e nos Estados Unidos.

    Na maior economia do mundo, é praticamente unânime entre os agentes do mercado que o movimento nos juros será de alta de 0,25 ponto. A dúvida agora é quanto ao que vem pela frente, que deve ser pauta da coletiva de imprensa de Jerome Powell, presidente da autarquia, logo depois do anúncio da decisão.

    Por aqui, a expectativa é que a Selic seja mantida em 13,75% ao ano mais uma vez, enquanto as atenções seguem na tramitação da nova regra fiscal no Congresso. Segundo o relator da proposta na Câmara dos Deputados, Cláudio Cajado (PP-BA), o texto pode ter o primeiro relatório apresentado já nesta quarta-feira.

    No meio tempo, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), já afirmou que gostaria de aprovar o novo marco na Casa até o dia 10 de maio. A previsão do governo é que a proposta seja aprovada também no Senado até junho.

    O Boletim Focus, divulgado nesta terça em razão do feriado do Dia do Trabalho na véspera, também foi foco de atenção. Para 2023, o mercado aumentou pela quinta semana seguida a projeção do IPCA, a 6,05%. O PIB também subiu, e a expectativa é que a economia brasileira cresça 1% neste ano.

    Na última sessão, na sexta-feira, o dólar à vista fechou o dia cotado a R$ 4,989, em alta de 0,18%. Já o Ibovespa avançou 1,47%, aos 104.431 pontos.

    Publicado por Tamara Nassif. Com informações da Reuters.