Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Mercado reduz para 4,9% projeção para a inflação de 2023, diz Focus

    Para a Selic, porém, as estimativas do documento do Banco Central foram mantidas; Copom se reúne na próxima semana para deliberar sobre a taxa básica de juros, mantida em 13,75% há um ano

    Sede do Banco Central em Brasília
    Sede do Banco Central em Brasília REUTERS/Adriano Machado

    Dimalice Nunesda CNN

    São Paulo

    Os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) reduziram de 4,95% para 4,90% suas projeções para o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA) de 2023, indica o Boletim Focus, divulgado nesta terça-feira (25).

    Para 2024 e 2025, a mediana das expectativas também indicam queda, de 3,92% para 3,09%, e de 3,55% para 3,50%, respectivamente. Manutenção das estimativas apenas em 2026, aos 3,50%.

    Logo mais, às 9h desta terça-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgará o Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) de julho, índice considerado a prévia do IPCA, a inflação oficial, que será divulgado em 11 de agosto.

    Na medição de junho, o IPCA-15 desacelerou para 0,04%, enquanto o IPCA marcou deflação de 0,08%.

    O Boletim Focus costuma sair às segundas-feiras, mas nesta semana o Banco Central decidiu por adiar a divulgação para terça para prestigiar a estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo Feminina 2023, que ontem venceu o Panamá por 4×0.

    Para os juros, manutenção das estimativas pela terceira semana seguida, para este e os próximos anos. Para 2023, a projeção ficou em 12 e para 2024 e 2025, respectivamente, 9,50% e 9% ao ano. Redução da projeção apenas para 2026, de 8,75% para 8,63%.

    O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central se reúne na próxima semana, nos dias 1 e 2 de agosto, para deliberar sobre a taxa básica de juros. A expectativa é que haja um corte, após a Selic estar em 13,75% ao ano desde agosto de 2022.

    PIB e Câmbio

    Para o crescimento econômico, a mediana das projeções para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB)

    foram mantidas em 2,25% para 2023 e em 1,30% para 2024. Para 2025, a projeção subiu de 1,88% para 1,90%; e de 1,90% para 2% em 2026.

    No câmbio, com a queda acumulada nos últimos meses, os economistas ouvidos para o Focus revisaram de R$ 5 para R$ 4,97 a estimativa para o dólar ao fim de 2023.

    Para 2024, houve manutenção em R$ 5,05. Para 2025, nova redução, de R$ 5,15 para R$ 5,12. e manutenção em R$ 5,20 para 2026.