Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ações da Boeing caem após incidente da Alaska Airlines

    Empresa tem histórico de problemas recente e registra prejuízo desde 2019

    Visão geral de aeronave Boeing 737 MAX 9 em fase de fabricação dentro da fábrica da Boeing em Washington em foto dos arquivos da Reuters
    Visão geral de aeronave Boeing 737 MAX 9 em fase de fabricação dentro da fábrica da Boeing em Washington em foto dos arquivos da Reuters 13/02/2017 - REUTERS/Jason Redmond

    Anna Coobanda CNN

    As ações da Boeing caíram até 8,6% nas negociações pré-mercado desta segunda-feira (8), eliminando quase US$ 13 bilhões (R$ 63,38 bilhões) do valor de mercado da empresa.

    Os investidores estão preocupados em relação a empresa após um acidente na sexta-feira (5), em que um pedaço da fuselagem de um Boeing 737 Max 9 explodiu no meio do voo da Alaska Airlines. O piloto conseguiu realizar um pouso de emergência e não houve feridos.

    A Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos ordenou no sábado (6) a suspensão de voos com aeronaves Boeing 737 Max 9 até que pudessem ser inspecionadas cuidadosamente.

    A ordem se aplica a 171 aviões em todo o mundo, com suspensões também na Turquia, Panamá e Brasil.

    O advogado de aviação, Robert Clifford, disse à CNN Internacional que o incidente terá repercussões na reputação da Boeing e que a empresa provavelmente terá que pagar às companhias aéreas pela perda de receitas.

    O incidente é o mais recente episódio de um longa histórico de problemas com a Boeing. Desde a imobilização do 737 Max em março de 2019, após dois acidentes que mataram 346 pessoas, as perdas financeiras da Boeing aumentaram.

    A empresa relatou um prejuízo anual durante quatro anos consecutivos, de 2019 a 2022, e registrou um prejuízo líquido de US$ 2,2 bilhões (R$ 10,73 bilhões) nos primeiros nove meses do ano passado. Os resultados anuais de 2023 serão divulgados no final de janeiro.

    O preço das ações da Boeing recuperou desde que a pandemia colocou a indústria aérea global em turbulência, mas ainda está 34% abaixo do seu pico em fevereiro de 2020.

    Em comparação, as ações da Airbus, rival europeia da Boeing, estão sendo negociadas acima do pico pré-pandemia e subiram 2,2% em relação ao fechamento anterior em Paris às 8h19 no Horário de Brasília de segunda-feira.

    Matéria originalmente publicada na CNN Internacional.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original