Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Apple adia lançamento de recursos com IA na Europa e culpa regras da UE

    Gigante de tecnologia apresentou iniciativas este mês com uma série de novos recursos e melhorias de software para iPhones e outros dispositivo

    Homem carrega sacola de uma loja da Apple em Xangai, China
    Homem carrega sacola de uma loja da Apple em Xangai, China 22/09/2023REUTERS/Aly Song

    Reuters

    A Apple vai adiar o lançamento de três novos recursos de inteligência artificial (IA) porque as novas regras de tecnologia da União Europeia exigem que a empresa garanta que produtos e serviços concorrentes possam funcionar com seus dispositivos, informou a companhia norte-americana nesta sexta-feira (21).

    A Apple apresentou suas iniciativas em IA este mês com uma série de novos recursos e melhorias de software para iPhones e outros dispositivos, a fim de impulsionar as vendas em declínio.

    A empresa afirmou que o Apple Intelligence, que utiliza IA para gerar texto, imagens e outros conteúdos sob comando, estará disponível nos modelos iPhone 15 Pro, iPhone 15 Pro Max, iPad e Mac com chip M1 e versões posteriores.

    O espelhamento do iPhone no MacOS Sequoia permite visualizar e interagir com a tela do telefone em computadores Mac.

    A companhia informou nesta sexta-feira que três recursos – o espelhamento de telefone, os aprimoramentos de compartilhamento de tela do SharePlay e o Apple Intelligence – não serão lançados para usuários da UE este ano por causa de incertezas regulatórias relacionadas à Lei de Mercados Digitais (DMA, na sigla em inglês) da UE.

    “Especificamente, estamos preocupados que os requisitos de interoperabilidade da DMA possam nos forçar a comprometer a integridade de nossos produtos de maneiras que coloquem em risco a privacidade e a segurança dos dados do usuário”, disse a Apple em um email.

    “Estamos empenhados em colaborar com a Comissão Europeia na tentativa de encontrar uma solução que nos permita fornecer esses recursos aos nossos clientes da UE sem comprometer sua segurança.”