Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula: Governo deverá renovar contratos com a Enel após empresa se comprometer com investimento maior

    Governo está para definir as diretrizes para a renovação de 20 contratos de distribuição de energia elétrica que vencem entre 2025 e 2031, incluindo a Enel

    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva
    Presidente Luiz Inácio Lula da Silva Ricardo Stuckert / PR

    Da CNN*

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse neste sábado (15) que a Enel, empresa italiana de energia elétrica que atua no Brasil, se comprometeu em aumentar o investimento para que as concessões sejam renovadas. Dessa forma, o governo federal poderia renovar o acordo com a companhia.

    “Estamos conversando com eles porque estamos dispostos a renovar os acordos, se eles assumirem compromisso de fazer investimento”, disse Lula em Puglia, na Itália, onde participou de conversas durante a reunião da cúpula do G7.

    “Eles assumiram o compromisso de, ao invés de investir R$ 11 bilhões, eles vão investir R$ 20 bilhões nos próximos três anos, prometendo que não haverá mais apagão em nenhum lugar em que eles são responsáveis pela energia”, disse Lula.

    Após a fala de Lula, a Enel, que já havia anunciado o plano de investimento citado pelo presidente, confirmou os valores neste sábado e citou o montante de US$ 3,7 bilhões (cerca de R$ 19,8 bilhões). A companhia é responsável pelo fornecimento de energia elétrica em São Paulo, Rio de Janeiro e Ceará.

    A fala foi feita em momento em que o governo está para definir as diretrizes para a renovação de 20 contratos de distribuição de energia elétrica, incluindo a Enel, além de CPFL, Neoenergia, Equatorial, Light e Energisa.

    O projeto está na Casa Civil e pode determinar a prorrogação de 20 contratos que vencem entre 2025 e 2031, compreendendo 64% do mercado de distribuição de energia do país.

    “Na semana que vem, o ministro de Minas e Energia (Alexandre Silveira) vai me levar uma proposta, e nós vamos então saber se vamos fazer ou não, para resolver esse problema energético. Porque São Paulo é muito importante, a gente não pode permitir que a capital mais importante do Brasil fique sem energia”, afirmou o presidente.

    *Com Reuters