Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Petrobras quer investir na Bolívia em busca de gás competitivo para indústria, diz Magda Chambriard

    A presidente da estatal brasileira integra a comitiva que acompanha o presidente Lula em viagem à Bolívia

    CEO da Petrobras, Magda Chambriard
    CEO da Petrobras, Magda Chambriard REUTERS/Ricardo Moraes

    Por Marta Nogueira, da Reuters

    A presidente da Petrobras, Magda Chambriard, declarou nesta terça-feira (9) que a estatal quer ampliar investimentos no setor de gás natural na Bolívia, no entanto, tais ações precisam ser capazes de expandir a oferta do insumo boliviano ao Brasil, e com preços competitivos para atender uma demanda crescente da indústria. A declaração ocorreu no Fórum Empresarial Bolívia-Brasil, realizado na cidade boliviana de Santa Cruz de La Sierra.

    Durante o evento, Chambriard também destacou que a produção de gás boliviana atingiu um pico de cerca de 60 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d) por volta de 2014, sendo metade desse volume operado pela Petrobras, antes de entrar em declínio.

    A subsidiária Petrobras Bolívia, como operadora, chegou a ser responsável por 60% da produção total de gás boliviano entre 2007 e 2011, destacou.

    Atualmente, a Bolívia produz aproximadamente 35 milhões de m³/d, com cerca de 25% de participação operada pela Petrobras. Além disso, Chambriard afirmou que 33% das exportações bolivianas de gás são de responsabilidade da petroleira estatal brasileira.

    “Hoje nós produzimos 9 milhões (de m³/d), queremos voltar a produzir 30 milhões na Bolívia, mas para isso, de novo, esse gás e esse investimento tem que ser capaz de entregar gás para fertilizantes e para a petroquímica brasileira a preços acessíveis”, declarou.

    “Essa é uma questão fundamental para nós, para viabilizar esses investimentos em que a gente acredita e que são essenciais para a parceria Brasil-Bolívia.”

    O gás natural é tido como essencial para a retomada da produção de fertilizantes no Brasil, demanda importante do presidente Lula, mas que enfrenta desafios diante dos altos preços do gás natural vendido no Brasil, que é uma grande potência agrícola global, mas que depende amplamente de importações de fertilizantes.

    Magda frisou acreditar no potencial do mercado boliviano e nas oportunidades exploratórias de gás que estão disponibilizadas hoje e que demandam investimentos.

    Atualmente, a Petrobras tem sete áreas na Bolívia, sendo quatro delas como operadora, incluindo uma que está em processo de devolução, segundo apresentação mostrada durante o evento. Ambas as áreas são operadas por meio de contratos de serviço com a estatal boliviana YPFB.

    Segundo a executiva, a companhia planeja realizar uma perfuração na área exploratória de San Telmo Norte, operada pela Petrobras, em 2025, mas que para isso aguarda uma licença ambiental.

    “Nós estaremos onde nós formos bem-vindos, então se as comunidades quiserem, se as comunidades nos aceitarem, e se nós tivermos a possibilidade de perfurar esse poço, então nós viabilizaremos esse projeto de San Telmo e vamos entregar a produção de gás que o Brasil e a Bolívia merecem”, afirmou a executiva.

    Magda Chambriard, está na comitiva que viajou junto ao presidente Lula à Bolívia, para tratar de diversos temas.

    Ela assumiu a companhia brasileira no dia 24 de maio deste ano, após a demissão do ex-CEO Jean Paul Prattes.