Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Petróleo, carvão e gás natural devem atingir pico de demanda até 2030, diz AIE

    Documento também destaca que projetos de energia limpa ainda enfrentam "obstáculos" nos mercados

    Economias emergentes se destacam nos investimentos em transição energética
    Economias emergentes se destacam nos investimentos em transição energética Reprodução/CNN

    Natália Coelho, do Estadão Conteúdo

    A demanda das três categorias de combustíveis fósseis (petróleo, carvão e gás natural) deverão atingir um pico até 2030, avalia a Agência Internacional de Energia (AIE), em seu novo relatório de perspectivas para a energia global, divulgado nesta terça-feira (24).

    “Juntamente com a implantação de alternativas de baixas emissões, o ritmo a que novos ativos que utilizam combustíveis fósseis estão sendo ao sistema energético abrandou”, pontua a AIE no relatório.

    Por outro lado, o documento destaca que os projetos de energia limpa enfrentam “obstáculos” nos mercados devido à inflação dos custos, gargalos na cadeia de oferta e custos de financiamento mais elevados.

    De acordo com a análise, o fim da era de crescimento dos combustíveis fósseis não significa o fim do investimento, “mas enfraquece a justificação para qualquer aumento nas despesas”.

    Para suas previsões, a AIE projeta três cenários:

    • o de Políticas Declaradas (STEPS), que fornece perspectiva baseada nas configurações políticas mais recentes;
    • o de Promessas Anunciadas (APS), que pressupõe que todas as metas nacionais em matéria de energia e clima definidas pelos governos sejam cumpridas na íntegra e dentro do prazo;
    • o de Emissões Líquidas Zero até 2050 (NZE), que limita o aquecimento global a 1,5 grau celsius.

    De acordo com a agência, a energia limpa é o aspecto mais dinâmico do investimento energético global em todos os cenários, visto que a previsão é que haja um crescimento desse tipo de energia devido aos estímulos políticos e de mercado.

    “Em todas as projeções, a dinâmica por trás da economia de energia limpa é suficiente para produzir um pico na procura de carvão, petróleo e gás natural nesta década, embora as taxas de declínio pós o pico variem amplamente.”

    Porém, a AIE destaca que o corte de gastos com petróleo e gás não colocará o mundo no caminho certo para o cenário NZE: “a chave para uma transição ordenada é aumentar o investimento em todos os aspectos de um sistema de energia limpa”.

    O relatório ainda reforça que a volatilidade nos mercados energéticos destacou a importância de um “fornecimento acessível, fiável e resiliente”, principalmente nas economias em desenvolvimento, mais sensíveis aos preços.

    “Os mercados emergentes e as economias em desenvolvimento são responsáveis por quase 80% do crescimento global da procura de eletricidade no cenário de Políticas Declaradas, e por mais de dois terços nos outros cenários.”

    Veja também: Demanda de minerais para transição energética aumenta