Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Ao lado de Bolsonaro e coronel Mello, Nunes diz que vice pode ser definido na próxima semana

    Nome não será definido agora, afirma prefeito de São Paulo; segundo ele, haverá conversa com outros partidos que apoiam tentativa à reeleição

    Tarcísio de Freitas, Jair Bolsonaro, Ricardo Nunes e coronel Mello de Araújo
    Tarcísio de Freitas, Jair Bolsonaro, Ricardo Nunes e coronel Mello de Araújo Renata Souza/CNN

    Renata SouzaLucas Schroederda CNN

    O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes (MDB), fez um pronunciamento nesta sexta-feira (14) ao lado de Jair Bolsonaro (PL), Tarcísio de Freitas (Republicanos) e o coronel da reserva da Polícia Militar Ricardo Mello de Araújo, indicado pelo ex-presidente da República para a vaga de vice na chapa de Nunes na tentativa à reeleição à Prefeitura.

    Apesar da presença dos três, Nunes disse que o nome do vice não será decidido agora e deverá ser discutido na semana que vem, após diálogo com os outros partidos que apoiam o prefeito.

    “Nós não vamos decidir o vice agora. O coronel Mello tem indicação de Bolsonaro e Tarcísio. Discussão do vice vai ser no momento em que discutirmos com todos os partidos. Estamos tentando ver se fazemos até o final da semana que vem. Muitos partidos que estão fazendo parte da nossa frente ampla. Vamos dialogar com todos os partidos.”

    “Em respeito a nossa forma de agir, vamos dialogar com todos e chegar a um denominador comum. Mello é um dos homens do PL, tem apoio do Bolsonaro, Tarcísio, isso tem peso na escolha, sem nenhum demérito a todos os postulantes e a todas as indicações dos outros partidos”, disse ele.

    A indicação de Bolsonaro ao nome do coronel foi feita ainda no início do ano.

    Na mesma época, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, se reuniu com o prefeito e disse que o nome havia sido “muito bem aceito”.

    No mesmo dia, o prefeito disse enxergar qualidades no coronel, mas que ainda era “muito cedo”.

    Hoje, Bolsonaro reiterou que apoia a candidatura do prefeito. “Estou fechado com ele desde o primeiro momento”, afirmou.

    “A minha presença aqui, do Mello, já é um sinalizador que estamos começando bem esse diálogo para que, quando bater o martelo, não ter gente que nos deixe. São bons nomes, mas a gente espera um consenso na próxima conversa, cada um traga suas razões para que a gente bata o martelo e prosseguir com esse nome até outubro”, acrescentou o ex-presidente.

    Ao lado de Bolsonaro, Tarcísio teceu elogios à parceria que mantém com o prefeito e reiterou o objetivo de chegar a um denominador comum com os demais partidos do arco de alianças da campanha.

    “Temos 11 partidos com Ricardo hoje. Há de se ter muito respeito com esses partidos. O mais importante é que está todo mundo muito comprometido com este projeto. Essa construção está sendo bem adiantada, tem muita gente que está analisando os cenários e vamos chegar ao melhor nesse projeto”, disse o governador.

    “Se a gente entrar, é para ganhar”, diz Mello Araújo

    Questionado sobre como vê a possibilidade de formar chapa com o atual prefeito, Mello Araújo se disse animado.

    “Se essa missão aparecer, vou entender como uma missão de vida”, declarou.

    “Se a gente for entrar nisso, se por ventura entrar, não é para perder. É para ganhar”, complementou.

    Segundo ele, o almoço desta sexta-feira foi o primeiro encontro de todos para tratar das eleições municipais.