Pixar lança primeiro curta-metragem com protagonista homossexual

O curta foi escrito e dirigido por Steven Clay Hunter, que trabalhou em muitos filmes da Pixar, incluindo "Toy Story 4" e "Procurando Dory"

David Williams, da CNN
27 de maio de 2020 às 13:09
A Animação da Pixar "Out" traz um jovem rapaz que tem medo de contar aos seus pais sobre o seu namorado.
Foto: Divulgação/Pixar

"Out", o novo curta-metragem da Pixar, lembra as comédias clássicas de troca de corpos da Disney, como "Sexta-feira Muito Louca" [com Jamie Lee Curtis, Lindsay Lohan] e os filmes "Soltando os Cachorros" [live action, em 1959; e a animação, em 2006]. Mas essa é a primeira vez que o estúdio apresenta um personagem principal homossexual. 
 
A história gira em torno de um jovem chamado Greg, que tem medo de dizer aos pais que é homossexual. Ele está preocupado com que eles vejam uma foto dele e do namorado quando forem ajudá-lo na mudança de casa.
 
Graças a um pouco de magia vinda de um gato roxo púrpura e de um cachorro rosa, Greg troca de corpo com o cão no meio da visita dos pais.


 Existem brincadeiras, como é de se esperar em um desenho, mas a história se concentra na dor que o garoto e a mãe estão sentindo.

Leia também:
 
Leandro Narloch e Lia Bock debatem doação de sangue por homossexuais

A apoiadores, Bolsonaro promete 'projeto federal' sobre ideologia de gênero

Filmes que não foram lançados nos cinemas podem competir pelo Oscar pela 1ª vez

A Pixar é de propriedade da Disney e o curta, que tem menos de 10 minutos, estreou na sexta-feira (22) no serviço de streaming Disney +.
 
O curta foi escrito e dirigido por Steven Clay Hunter, que trabalhou em muitos filmes da Pixar, incluindo "Toy Story 4" e "Procurando Dory". O material faz parte da série SparkShorts da Pixar, projetada para descobrir novos contadores de histórias e experimentar diferentes técnicas.
 
Muitos compartilharam suas reações no Twitter com a hashtag #PixarOut. A maioria diz ter chorado e desejado que o filme existisse ainda na adolescência. Alguns também postaram que essa não era uma mensagem apropriada para crianças.
 
Um estudo divulgado no ano passado pela Gay and Lesbian Alliance Against Defamation (GLAAD) [Aliança para Gays e Lésbicas Contra a Difamação] apontou que apenas 18% dos filmes populares lançados em 2018 incluíam personagens LGBTQI+. Nenhum dos lançamentos da Disney naquele ano tinha um personagem LGBTQI+, de acordo com o GLAAD.
 
A Disney incluiu casais LGBTQI+ em alguns de seus sucessos de bilheteria, como o companheiro de Gaston, LeFou, de "A Bela e a Fera", foi retratado como gay na versão live action do filme. Também houve um breve beijo entre duas lutadoras rebeldes em "Star Wars: A Ascensão de Skywalker".
 
O longa da Pixar, "Dois Irmãos: Uma Jornada Fantástica", lançado no início deste ano, também inclui Specter, uma policial ciclope lésbica, que fala sobre a namorada. Um personagem homossexual também apareceu na série do Disney Channel "Andi Mack", que durou três temporadas antes de terminar no ano passado.