Após polêmicas, Spotify adicionará “aviso de conteúdo” sobre a Covid-19

Artistas e personalidades saíram da plataforma depois que podcast divulgou informações falsas sobre a vacina contra o coronavírus

Pela primeira vez, Spotify irá divulgar publicamente suas regras da plaforma
Pela primeira vez, Spotify irá divulgar publicamente suas regras da plaforma REUTERS/Brendan McDermid

Ramishah Marufda CNN

Ouvir notícia

O Spotify respondeu, no último domingo (30), às críticas que recebeu sobre o conteúdo sobre a Covid-19 publicado na plataforma depois que vários artistas proeminentes disseram que deixarão a plataforma se continuar hospedando o comediante Joe Rogan, apresentador do podcast que espalhou informações enganosas e imprecisas sobre vacinas e o vírus.

O Spotify disse que está adicionando um “aviso de conteúdo” a qualquer episódio de podcast que inclua discussões sobre a Covid-19. De acordo com a empresa, o comunicado iá direcionar os ouvintes para um hub que incluirá links para fontes confiáveis.

O Spotify também irá divulgar publicamente, pela primeira vez, suas regras de plataforma, que foram originalmente desenvolvidas por sua equipe interna.

“Estas são as regras do caminho para guiar todos os nossos criadores — daqueles com quem trabalhamos exclusivamente e também aqueles cujo trabalho é compartilhado em várias plataformas”, disse o CEO e cofundador Daniel Ek em comunicado.

A lista de músicos e personalidades abandonando o Spotify cresceu depois que Neil Young e Joni Mitchell pediram para que suas músicas fossem removidas da plataforma.

O Spotify hospeda com exclusividade o popular podcast “The Joe Rogan Experience”, que espalhou desinformação sobre a vacina contra a Covid-19.

“Ficou claro para mim que temos a obrigação de fazer mais para fornecer equilíbrio e acesso a informações amplamente aceitas das comunidades médicas e científicas que nos guiam neste momento sem precedentes”, disse Ek.

Nils Lofgren, que fez parte da banda E Street Band e Crazy Horse de Bruce Springeteen, também anunciou que está tirando suas músicas do Spotify e encorajou todos os “músicos, artistas e amantes da música” a cortar relações com a plataforma em apoio aos profissionais de saúde.

“Quando esses heroicos homens e mulheres, que passaram suas vidas curando e salvando as nossas, clamam por ajuda, você não deve virar as costas para eles por dinheiro e poder”, disseram Lofgren e sua esposa, Amy, em um comunicado. “Você ouve e fica com eles”, completaram.

Um porta-voz da Archewell, fundação administrada pelo príncipe britânico Harry e Meghan, duquesa de Sussex, disse que o casal expressou preocupação sobre a desinformação sobre a Covid-19 no Spotify.

“Esperamos que o Spotify atenda a esse momento e estamos comprometidos em continuar nosso trabalho juntos”, acrescentou o porta-voz. A declaração não mencionou especificamente o programa de Rogan.

Brenè Brown, apresentador dos renomados podcasts “Unlocking Us” e “Dare to Lead”, anunciou no sábado que não lançará nenhum podcast até novo aviso.

Como lidar com os disseminadores de notícias falsas?

A popular escritora Kat Rosenfield comparou Rogan a uma “erva daninha que surgiu fora da grande mídia”. Segundo ela, mesmo que o apresentador esteja fora de uma plataforma, seus fãs ainda o ouvirão e não haveria um impacto na disseminação de suas mensagens. E esses fãs ainda não confiariam nas principais fontes de notícias.

No Spotify, “The Joe Rogan Experience” é atualmente o podcast mais popular nos Estados Unidos e no Reino Unido.

“As pessoas estão fundamentalmente revoltadas por não conseguirem impedir o público de receber notícias falsas”, disse Rosenfield.

Ela acrescentou que a questão fundamental é se os ouvintes de Rogan buscarão informações mais confiáveis ​​caso o apresentador seja expulso do Spotify.

Ek disse no comunicado que há “muitos indivíduos e pontos de vista” com os quais ele discorda fortemente e estão presentes na plataforma.

“É importante para mim que não assumamos a posição de censor de conteúdo, ao mesmo tempo em que nos certificamos de que existem regras e consequências para aqueles que as violam”, disse Ek.

Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

versão original

Mais Recentes da CNN