Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Atriz iraniana que estrelou filme ganhador de Oscar é detida pelo governo

    Taraneh Alidoosti fez uma publicação apoiando manifestações contra a administração do país

    Atriz iraniana Taraneh Alidoosti
    Atriz iraniana Taraneh Alidoosti Reuters/Reprodução

    Da Reuters

    As autoridades iranianas detiveram no sábado (17) a proeminente atriz Taraneh Alidoosti, estrela de “O Apartamento”, que ganhou o Oscar de melhor filme estrangeiro em 2017, depois que ela expressou apoio a manifestações antigovernamentais que acontecem em todo o país.

    Alidoosti postou, em 9 de novembro, uma foto no Instagram em que estava sem lenço na cabeça e com uma placa dizendo “Mulher, vida, liberdade” – um dos principais slogans dos manifestantes que estão saindo às ruas.

    “Alidoosti, que não forneceu documentos que respaldem algumas de suas reivindicações, foi presa horas atrás por ordem da autoridade judicial”, disse a agência oficial de notícias Irna, citando um comunicado do judiciário.

    O comunicado destaca que várias celebridades foram convocadas por causa de “comentários infundados sobre eventos recentes e publicação de material provocativo em apoio a distúrbios de rua anteriores”, e que algumas foram detidas.

    Em 2020, Alidoosti recebeu uma pena de cinco meses, que foi suspensa, depois de criticar no Twitter a polícia da moralidade, que impõe o hijab ou código de vestimenta islâmico.

    A atriz foi a última de dezenas de artistas, jornalistas e advogados detidos nos últimos três meses por se manifestar contra uma violenta repressão de segurança aos manifestantes, alguns dos quais foram libertados sob fiança.

    A agitação que atualmente atinge o Irã foi desencadeada pela morte, em 16 de setembro, de Mahsa Amini, uma mulher de 22 anos que foi presa por usar “traje inapropriado” sob o estrito código de vestimenta islâmico do Irã para mulheres.

    Os protestos representam um dos maiores desafios ao governo teocrático no Irã desde a Revolução Islâmica de 1979.