Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    “Bebê Rena” entra para top 10 de séries mais vistas da Netflix; veja lista

    Minissérie acompanha a história real de um comediante que foi perseguido durante anos por uma stalker e chegou a render um processo contra a plataforma de streaming; saiba mais

    Cena de "Bebê Rena", disponível na Netflix
    Cena de "Bebê Rena", disponível na Netflix Ed Miller/Netflix

    Nicoly Bastosda CNN

    “Bebê Rena”, minissérie lançada em 11 de abril deste ano, já entrou para a lista das séries de língua inglesa mais vistas da história da Netflix. Segundo a plataforma, em exatos dois meses no ar, a produção acumulou 84,5 milhões de visualizações.

    O seriado acompanha a relação entre um comediante, interpretado por Richard Gadd, e uma mulher (Martha) que se torna obcecada por ele após um gesto de simpatia do mesmo. O que mais impressionou o público é que o enredo e o desfecho da história são inspirados na história real e pessoal do protagonista.

    “Bebê Rena” ocupa a 10ª posição do ranking. Outras produções que entram na lista são “Wandinha”, “O Gambito da Rainha” e temporadas de “Bridgerton” e “Stranger Things”.

    Confira o ranking completo:

    1. “Wandinha” (temporada 1)
    2. “Stranger Things” (temporada 4)
    3. “Dahmer: Um Canibal Americano” (minissérie)
    4. “Bridgerton” (temporada 1)
    5. “O Gambito da Rainha” (minissérie)
    6. “O Agente Noturno” (temporada 1)
    7. “A Grande Ilusão” (minissérie)
    8. “Stranger Things” (temporada 3)
    9. “Bridgerton” (temporada 2)
    10. “Bebê Rena” (minissérie)

    Processo judicial enfrentado pela Netflix

    Uma mulher escocesa que alega ser a “Martha da vida real” está processando a Netflix em US$ 170 milhões (aproximadamente R$900 milhões) por angústia mental, perda de prazer na vida e perda de negócios”, de acordo com uma queixa apresentada no Tribunal Distrital do Distrito Central da Califórnia.

    A Netflix, por sua vez, disse que irá contestar a ação da mulher. Numa declaração à CNN Internacional, um porta-voz da Netflix disse: “Pretendemos defender este assunto vigorosamente e defender o direito de Richard Gadd de contar a sua história”.

    Através da série, Gadd alega que a mulher que o perseguiu por anos chegou a mandar 41.071 emails, 350 horas de mensagens de voz, 106 páginas de cartas, 744 tuites e 46 mensagens em seu Facebook.