Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Dia da Visibilidade Trans: 12 artistas que você precisa conhecer

    Data marca a necessidade de conscientização da população sobre direitos e vulnerabilidades das pessoas trans

    Atriz Verónica Valenttino em cartaz da peça de teatro "Brenda Lee e o Palácio das Princesas"
    Atriz Verónica Valenttino em cartaz da peça de teatro "Brenda Lee e o Palácio das Princesas" Laerte Késsimos/Divulgação

    Pedro N. Jordãoda CNN

    São Paulo

    Nesta segunda-feira (29) é celebrado o Dia Nacional da Visibilidade Trans, data que completa 20 anos de existência neste ano. O marco foi criado para conscientizar a população brasileira sobre os direitos e as condições de vida ainda vulnerável desse grupo social.

    A CNN lista abaixo 12 artistas transexuais que você deve conhecer para ficar por dentro de quem são alguns dos maiores talentos da comunidade LGBTQIAP+ no Brasil.

    Verônica Valenttino

    Primeira transexual a receber o prêmio de melhor atriz no Prêmio Shell de Teatro e de “Melhor Atriz em Musicais” no Prêmio Bibi Ferreira, ambos em 2023 e pela atuação na peça “Brenda Lee e o Palácio das Princesas”.

    Verônica também é cantora e participou de diversos outros trabalhos, cantando e atuando.

    A atriz fez uma participação no último capítulo da novela “Terra e Paixão”, interpretando a responsável por celebrar o casamentos dos personagens Kelvin (Diego Martins) e Ramiro (Amaury Lorenzo).

    Laerte Coutinho

    Uma das maiores cartunistas e chargistas do Brasil, Laerte, de 72 anos, colaborou com diversos veículos de comunicação, como a revistas Veja e IstoÉ e os jornais Folha de S.Paulo e O Estado de S. Paulo.

    A artista criou personagens icônicos que fazem parte do imaginário educacional brasileiro, como os Piratas do Tietê e Overman.

    Fernando Lins (Fefa)

    Fernando Lins, também conhecido como “Fefa”, é artista plástico e visual. Lins faz reflexões sobre afetos e desejos, usando técnicas seculares de pintura a óleo associadas a processos digitais de composição.

    A obra de Fefa Lins também investiga a diversidade de corpos e a sexualidades.

    Pernambucano, o artista esteve presente em diversas mostras de arte pelo país.

    Assucena Assucena

    Duas vezes indicada ao Grammy Latino e outras duas ao Prêmio da Música Brasileira, Assucena é cantora e está, atualmente, em carreira solo.

    Anteriormente, a cantora integrou a banda “As Bahias e a Cozinha Mineira” e também fez uma turnê cantando e celebrando as músicas do álbum “Fatal”, de Gal Costa (vídeo abaixo).

    Renata Carvalho

    Premiada e indicada diversas vezes em prêmios nacionais e internacionais, Renata Carvalho é uma das atrizes trans brasileiras mais importantes da atualidade, tendo realizado trabalhos marcantes no cinema e no teatro.

    A atriz atuou em “Pico da Neblina” (HBO Max), Os Primeiros Soldados, “Vento Seco” (Globoplay) e “Os Primeiros Soldados” (Apple TV), dentre outros.

    No teatro, a peça “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu” (2016), na qual era protagonista, é comentada até hoje. A encenação gerou polêmica e fez com que a atriz fosse vítima de casos de transfobia em diversas partes do país por onde passou.

    Renata também é pesquisadora e escreveu um manifesto no qual pede 30 anos sem transfake no Brasil como ferramenta para mudar o imaginário da população e reduzir a discriminação contra as pessoas trans.

    Filipe Catto

    Filipe Catto é uma pessoa trans não-binária, cujos pronomes adequados para se referir são ela ou elu. Cantora desde muito jovem, Catto coleciona dezenas de prêmios por suas músicas, turnês, videoclipes e parcerias.

    Filipe também já dividiu o álbum com grandes outros nomes da música popular brasileira, como Maria Bethânia, Elza Soares, Ney Matogrosso, Odair José, Vanessa da Matta, Daniela Mercury, Zélia Duncan, Ana Carolina e Arnaldo Antunes.

    Atualmente, está na turnê “Belezas São Coisas Acesas Por Dentro”, na qual canta músicas do repertório de Gal Costa.

    Danielle Torres

    Primeira executiva trans do Brasil (e de muito sucesso internacional), Danielle Torres também se destaca como escritora.

    Além de ser colunista da revista Marie Clair, a executiva lançou uma autobiografia em 2022 e uma ficção no início de 2023.

    Mel Gonçalves

    Também conhecida como “Candy Mel”, é cantora, apresentadora e influenciadora digital.

    Fez muito sucesso com o grupo “Banda Uó”, que fará, em breve, uma turnê de reencontro.

    Priscila Nogueira (Pepita)

    Atriz, cantora, funkeira e apresentadora, Pepita, como é mais conhecida, se destaca por suas participações em trios elétricos, programas de TV, entrevistas, eventos em geral, nos quais sempre aparece bem humorada humor, sábia e orgulhosa.

    Ela também é madrinha de bateria da escola de samba Unidos de São Lucas, de São Paulo.

    Valentina Luz

    Uma das DJs mais conhecidas das festas de música eletrônica da noite paulistana, Valentina Luz faz sucesso e tem seu trabalho reconhecido entre fãs do gênero no Brasil e fora dele.

    Luz é também performer e modelo, tendo feito ensaios fotográficos para a Vogue e participado de desfiles no São Paulo Fashion Week.

    Raquel Virginia

    Raquel é cantora e empreendedora premiada. Já foi indicada ao Grammy Latino e segue carreira solo.

    Atualmente, se dedica mais intensamente aos próprios negócios.

    Também foi uma das vocalistas da banda “As Bahias e a Cozinha Mineira”.

    Anne Mota

    Atriz protagonista do filme “Alice Junior” (Netflix), Anne Mota é também influenciadora digital, falando sobre questões da comunidade LGBTQIAP+ e sobre seu cotidiano.

    Começou a ter destaque midiático após criar o canal do YouTube “Transtornada”, no qual fala sobre suas trajetórias como mulher trans. Em 2024, está prevista a estreia da sequência do filme “Alice Junior”.

    Over 30 trans

    No início do mês, a revista Billboard Brasil lançou a lista “Over 30”, na qual destacou pessoas trans de sucesso com mais de 30 anos de idade.

    O objetivo foi fazer referência à lista “Under 30”, da Forbes, que destaca jovens de sucesso com menos de 30 anos, em um contexto em que a expectativa de vida de pessoas trans no Brasil é de apenas 35 anos.

    A lista repete sete indicações citadas acima, mas vai além ao apresentar ao público nomes importantes de outras áreas além das artes, ao todo 30. Confira também esta outra lista.