Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Emma Watson e J.K. Rowling recebem acusações de antissemitismo

    Atriz e autora da série “Harry Potter” são questionadas pela comunidade judaica; a primeira por um post pró-Palestina; a segunda pela representação esteriotipada em suas obras

    JK Rowling e Emma Watson juntas em evento de Londres, em 2013
    JK Rowling e Emma Watson juntas em evento de Londres, em 2013 Getty Images

    Luis Felipe Abreucolaboração para a CNN

    Ouvir notícia

    A escritora J.K. Rowling, autora de “Harry Potter”, e a atriz Emma Watson, intérprete de Hermione Granger na mesma saga, envolveram-se em polêmica nesta semana. Ambas foram acusadas de antissemitismo e descaso para com a população judaica.

    Tudo começou na segunda-feira (3), quando Watson republicou em sua página do Instagram uma imagem do coletivo de arte política Bad Activist. No post, uma foto de bandeiras da Palestina em uma manifestação é sobreposta pelo letreiro “Solidarity is a verb” (“Solidariedade é um verbo”).

    A publicação da atriz, por sua vez, foi repostada por Danny Danon, ex-Ministro das Ciências de Israel. Em seu Twitter, o político ironiza a posição com uma alusão ao universo de Harry Potter: “Menos 10 pontos para a Grifinória por ser antissemita, Emma Watson”.

    O atual embaixador de Israel na ONU, Gilad Erdan, também se manifestou: “Se magia funcionasse na vida real, seria usada para eliminar maus como o Hamas (organização terrorista que atua no Oriente Médio)”.

    As redes sociais se dividiram com a polêmica. Autoridades judaicas reforçaram as acusações, enquanto ONGs e instituições humanitárias parabenizaram o esforço de chamar atenção para o conflito e a situação do povo palestino.

    O post original de Watson já chegou a mais de 100 mil comentários. Na legenda, a atriz publicou uma citação da ativista inglesa Sara Ahmed: “Solidariedade não pressupõe que nossas lutas sejam as mesmas, que nossa dor seja a mesma, que nossas esperanças sejam por um só futuro”.

    Watson é conhecida por seu engajamento social e político. Em 2014, foi designada Embaixadora da Boa-Vontade da ONU Mulheres, e em 2019 participou do encontro do G7 como consultora para políticas para mulheres.

    O assunto ganhou ainda mais destaque nesta quarta-feira (5), quando foram recuperadas críticas a J.K. Rowling feitas pelo jornalista e comediante Jon Stewart. Em seu podcast, “The Problem With Jon Stewart”, o ex-apresentador do The Daily Show reforça acusações de antissemitismo feitas à escritora, devido à representação dos goblins banqueiros de Gringotes, na saga “Harry Potter”.

    Os duendes, responsáveis pela instituição financeira do mundo bruxo, são representados com longos narizes, dentes afiados e penteados ortodoxos – características que remetem a antigas caricaturas do povo judeu, bem como o esteriótipo de banqueiros gananciosos.

    “Não acredito que, em um universo de magia, ela jogou judeus lá para administrar um banco subterrâneo”, critica Stewart. Ele ainda relembra a literatura europeia antissemita do começo do século 20, que ajudou a alimentar a ideologia nazista: “Vou mostrar a você uma caricatura de O Protocolo dos Sábios de Sião. Você dá uma olhada e diz: ‘Olha, é de Harry Potter’”.

    Os duendes de Gringotes são alvo de escrutínio desde sua primeira aparição cinematográfica, em 2001, mas há uma onda cada vez maior de revisão das representações problemáticas na obra.

    Rowling já vinha enfrentando diversas críticas nos últimos dois anos por suas posições consideradas transfóbicas. A militância da autora contra a autodeterminação de gênero, bem como sua oposição a políticas como o acesso a banheiros femininos por parte de pessoas trans atrai críticas.

    Sua defesa do ator Johnny Depp (acusado de agredir a ex-mulher, Amber Heard), astro da franquia “Animais Fantásticos”, escrita por Rowling, também foi alvo de protestos.

    As novas polêmicas envolvendo Rowling e Watson surgem quando “Harry Potter” volta à discussão, com o lançamento de “Return to Hogwarts”, um documentário sobre a série, lançado pela HBO Max em 1º de janeiro. O especial comemora os 20 anos de lançamento do primeiro filme da franquia, “Harry Potter e a Pedra Filosofal”.

    O especial de 20 anos de “Harry Potter” / Divulgação/HBO

    Mais Recentes da CNN