Joséphine Baker será 1ª negra enterrada no Panteão de Paris

Artista e defensora dos direitos humanos, que morreu em 1975, foi naturalizada francesa

Fabrizio Neitzkeda CNN*

São Paulo

Ouvir notícia

A cantora e dançarina americana Joséphine Baker vai se tornar a primeira mulher negra da história a ser enterrada no Panteão de Paris.

O anúncio da honraria, uma das mais importantes da França, foi feito por uma representante do governo.

Joséphine nasceu nos Estados Unidos em 1906, mas ganhou fama na década de 1920 em Paris. A artista se naturalizou francesa e ganhou ainda mais notoriedade como defensora dos direitos humanos.

Ela também fez parte da resistência durante a Segunda Guerra Mundial e ajudou na luta contra o exército nazista. Após a guerra, ela foi condecorada com a maior ordem de mérito do país pelo general Charles de Gaulle.

Joséphine Baker morreu em 1975 e foi enterrada em Mônaco. Agora, ela fará parte de uma seleta lista de personalidades sepultadas no Panteão de Paris, um dos maiores monumentos da capital, junto com o escritor Victor Hugo e o filósofo Voltaire.

Nascida nos EUA, Joséphine Baker se naturalizou francesa e morreu na Europa na década de 1970 / Reprodução/CNN Brasil (23.ago.2021)

(*sob supervisão)

 

(Publicado por Sinara Peixoto)

Mais Recentes da CNN