Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Justiça manda Youtube tirar do ar vídeo de Léo Lins; humorista diz sofrer censura

    No show de stand-up retirado do ar, MP apontou para Justiça que humorista fez piadas com escravidão, pessoas com deficiência e outras minorias

    Brenda Mendescolaboração para a CNN

    São Paulo

    O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou a retirada do Youtube do especial de comédia “Perturbador”, do humorista Léo Lins. A produção estava disponível desde dezembro do ano passado no Youtube.

    No vídeo, que foi feito de show em Curitiba, que contava com mais de 3 milhões de visualizações, ele fez piadas com temas como escravidão, pessoas com deficiências e outras minorias. A decisão da Justiça foi provocada por um pedido do Ministério Público.

    Na última quinta-feira (16), Leo Lins compartilhou no Instagram um texto falando sobre a decisão, além de ter feito uma contagem regressiva até o dia que a medida começou a valer.

    “O show está fora do ar, este processo tem consequências absurdas. Há muito mais em jogo. A justificativa para remover meu show de stand-up, pode ser usada basicamente para remover 95% dos especiais de humor. Fora pedidos, a meu ver, desproporcionais por contar piadas num palco de teatro. Igualando uma expressão artística a um ato criminoso .Meu advogado já está entrando com uma defesa e pretendo fazer um vídeo relatando o que está acontecendo”, disse.

    Em entrevista à CNN, Lins afirmou que sofreu censura e que seu vídeo não violou nenhuma norma do Youtube, inclusive estava recebendo dinheiro do Youtube pelo vídeo.

    “O Ministério Público passou por cima da plataforma e considerou o show como um ato criminoso. Vou aguardar meu julgamento. Espero não ser preso. Mas, caso seja, com a superlotação das cadeias, meu show vai continuar lotado”, disse o comediante, que continuou.

    “A propósito, isso foi uma piada. Utilizei um caso hipotético e uma figura de linguagem para isso. Estou explicando, para não acharem que foi um crime de ódio. E como fiz a piada comigo e sou um homem branco hétero, creio que não tem problema, pois é um dos únicos temas permitidos segundo o processo”, afirmou Lins.

    Assim que a decisão da Justiça foi noticiada, outros humoristas demonstraram apoio a Lins, como o apresentador e também comediante Fábio Porchat., que usou o Twitter para se manifestar contra a decisão judicial.

    “Fiquei feliz em ver o apoio de muitos colegas, até porque precisa ser muito burro ou mal caráter pra ser a favor de algo que será usado contra você. Mas sempre tem um ou outro assim”, disse ele após ver a repercussão.

    “Humor não tem limite, o ambiente sim. Todas as polêmicas que já me envolvi são por piadas contadas em um palco. Proibir piadas no palco é o equivalente a proibir socos no ringue de boxe”, completou o humorista.

    Viralizou nas redes

    Fábio Porchat e Antonio Tabet estão entre os comediantes que saíram em defesa de Leo Lins. “Isso aqui é uma vergonha! Inaceitável!”, disse Porchat, que completou com um texto afirmando que o humorista tem direito de ofender.

    Tabet também usou a rede social para dizer que “piadas são só piadas”.

    Renato Albani comentou na postagem de Léo.

    “Não existe isso, cara”, afirmou Oscar Filho e Danilo Gentili também se posicionaram contra a medida cautelar.

    Por outro lado, nas redes sociais, influencers e internautas foram a favor da retirada do vídeo.

    Também teve quem defendeu afirmando que isso é censura.