Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Linda Evangelista faz acordo com empresa de procedimento estético que a “desfigurou”

    Evangelista havia processado a empresa por US$ 50 milhões (cerca de R$ 275 milhões), após sofrer um efeito colateral raro chamado hiperplasia adiposa paradoxal

    A modelo Linda Evangelista processa empresa em US$ 50 milhões por procedimentos que, segundo ela, a deixaram "brutalmente desfigurada"
    A modelo Linda Evangelista processa empresa em US$ 50 milhões por procedimentos que, segundo ela, a deixaram "brutalmente desfigurada" Jim Spellman/Getty Images

    Luana Franzãoda CNN* Em São Paulo

    A ex-supermodelo Linda Evangelista anunciou em sua página no Instagram nesta quarta-feira (20) que entrou em acordo com a empresa na qual realizou procedimento estético que a deixou “desfigurada” em 2015 e 2016.

    Evangelista havia processado a empresa por US$ 50 milhões (cerca de R$ 275 milhões), após sofrer um efeito colateral raro chamado hiperplasia adiposa paradoxal (HAP, na sigla em inglês) depois dos procedimentos, que faz com que as pessoas desenvolvam um inchaço nas áreas que foram tratadas.

    “Estou feliz em dizer entrei em acordo no caso da CoolSculpting. Estou animada para o próximo capítulo da minha vida, com amigos e família, e estou feliz de deixar esse problema no passado. Estou realmente grata pelo apoio que recebi daqueles que me procuraram”, escreveu o ícone da década de 1990.

    Segundo ela, após o resultado do tratamento ela entrou em depressão profunda e se isolou devido à insatisfação com a aparência. “Para meus seguidores que se perguntam por que não tenho trabalhado enquanto as carreiras de meus colegas estão prosperando, o motivo é que fui brutalmente desfigurada pelo procedimento, que fez o oposto do que prometia”, revelou através do Instagram em 23 de setembro de 2021.

    “O HAP não apenas destruiu meu sustento, mas me levou a um ciclo de profunda depressão, profunda tristeza e para as profundezas da autoaversão. No processo, me tornei reclusa”, disse ela.

    O processo foi protocolado no estado de Nova York contra a Zeltiq Aesthetics, unidade da Allergan Aesthetics, por negligência, propaganda enganosa e alegando que a empresa não alertou os clientes sobre os possíveis efeitos colaterais.

    Segundo informações dadas por fontes próximas a Evangelista à revista People, ela está pronta para seguir em frente e deseja retomar a carreira, com uma campanha para a marca de luxo Fendi e outros projetos em vista.

    *Com informações da Reuters.