Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    #CNNPop

    Paul McCartney explica como IA está sendo usada em nova música dos Beatles

    "Vimos alguma confusão e especulações sobre isso", afirma o músico uma nota postada em suas redes sociais na quinta-feira (22)

    Paul McCarney se apresenta no palco principal do festival Glastonbury, em junho de 2022.
    Paul McCarney se apresenta no palco principal do festival Glastonbury, em junho de 2022. Harry Durrant/Getty Images

    Lisa Respers Franceda CNN

    Paul McCartney deu mais informações sobre como a inteligência artificial está sendo usada na produção do que ele disse ser uma música “final” dos Beatles.

    “Vimos alguma confusão e especulações sobre isso”, afirma uma nota postada em suas redes sociais na quinta-feira (22). “Parece haver um monte de adivinhações por aí”, acrescentou o músico.

    “Não posso dizer muito neste momento, mas para ser claro, nada foi criado artificialmente ou sinteticamente. É tudo real e todos nós tocamos [na música]”, acrescentou.

    O beatle explicou que a inteligência artificial foi usada na produção da canção para dar um tratamento a gravações antigas da banda.

    “Limpamos algumas gravações existentes – um processo que durou anos”, disse Paul.

    Como essa história começou

    Em uma entrevista recente ao programa “Today” da BBC Radio 4, o lendário músico foi questionado sobre IA e como ela foi usada para fazer sua voz soar mais jovem – e para ressuscitar as vozes de outros membros da banda John Lennon e George Harrison, que morreram em 1980 e 2001, respectivamente.

    McCartney disse que a tecnologia estava sendo usada para lançar uma “nova” faixa.

    “Quando viemos para fazer o que será a última gravação dos Beatles – era uma demo que John tinha na qual trabalhamos e acabamos de terminar, será lançada este ano – e fomos capazes de pegar a voz de John e purificá-la por meio dessa IA”, disse McCartney.

    “Então, pudemos mixar como você faria normalmente”, completou.

    Isso despertou preocupação de alguns sobre como a IA pode ser usada em termos de artistas que não estão mais conosco.

    McCartney reconheceu essa empolgação em torno do lançamento em sua nota, escrevendo: “Ninguém está mais animado do que nós em compartilhar algo com você no final do ano”.

    Este conteúdo foi criado originalmente em inglês.

    versão original