Revista TIME coloca Anitta e Boulos entre os 100 líderes do mundo para o futuro

Cantora é destacada por seu papel na divulgação mundial do funk brasileiro; político foi lembrado por posição de destaque entre oposicionistas no Brasil

Anitta em cena de sua nova série na Netflix, "Made in Honório"
Anitta em cena de sua nova série na Netflix, "Made in Honório" Foto: Divulgação

Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A revista americana TIME divulgou nesta quarta-feira (17) a segunda edição da “TIME100 Next”, versão sobre lideranças para o futuro da tradicional lista das 100 pessoas mais influentes do mundo, divulgada anualmente pela publicação.

Neste ano, a TIME incluiu duas personalidades brasileiras: a cantora Anitta, relacionada entre os 18 “artistas”, e Guilherme Boulos (PSOL), listado entre os 22 líderes políticos selecionados pela revista.

Na edição anterior, divulgada em 2019, o Brasil teve uma representante entre os 100 relacionados: a deputada Tabata Amaral (PDT-SP), também relacionada como liderança política.

Assim como na lista tradicional, os textos sobre algumas personalidades são escritos por outras, relacionadas a elas, convidadas pela publicação. O texto sobre Anitta é assinado pelo cantor colombiano J Balvin, com quem a brasileira produziu inúmeras parcerias. Outros, como o que trata de Boulos, são escritos pela redação da TIME.

Sobre Anitta, J Balvin escreveu: “Anitta é uma verdadeira guerreira, que transformou o movimento dela em um impérito. Ela pegou o som do Brasil — o funk, que é como se fosse o nosso reggaeton — e o levou a um outro nível, fazendo esse som ter para todo mundo”.

O texto a respeito de Boulos é assinado por Ciara Nugent, jornalista da TIME. A repórter justifica a escolha da publicação pelo político do PSOL afirmando que a campanha de Boulos a prefeito de São Paulo o tornou um novo líder à esquerda no Brasil e um possível adversário do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em 2022.

Destaques

Os brasileiros não foram, no entanto, destaques das categorias em que estão listados. Em “artistas”, o destaque ficou para Dua Lipa, cantora britânica de 25 anos autora de alguns dos sucessos da música pop nos últimos meses.

Em “fenômenos”, o destaque ficou para Maitreyi Ramakrishnan, atriz de origem indiana que estreou um dos lançamento recentes do streaming Netflix, a série Never Have I Ever (“Eu Nunca”, como divulgado pela plataforma no Brasil).

A líder de destaque é Sanna Marin, que aos 35 anos é primeira-ministra da Finlândia, uma das governantes mais jovens do mundo. Para escrever sobre Sanna, a TIME convidou Erna Solberg, primeira-ministra da Noruega.

Vitoriosos nas disputas pelas duas vagas da Geórgia no Senado, que transformaram o Partido Democrata de Joe Biden em maioria, o jornalista investigativo Jon Ossoff e o reverendo Raphael Warnock foram lembrados na lista. Os dois textos foram escritos por Bernice King, filha de Martin Luther King, histórico ativista pelos direitos dos negros nos EUA.

Entre “ativistas”, o destaque ficou para um esportista: o atacante inglês Marcus Rashford, do Manchester United. O texto sobre Rashford foi escrito por ninguém menos que o piloto Lewis Hamilton, sete vezes campeão da Fórmula 1, que enfatizou a importância do ativismo do atleta contra a fome no Reino Unido.

“Marcus inspirou incontáveis outros a se juntarem a ele nessa missão, cimentando seu status como um modelo de comportamento”, escreveu Hamilton.

Mais Recentes da CNN