Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Rock in Rio tem receita estimada acima de US$ 158 milhões

    Evento deve gerar pagamento de US$ 7,9 milhões em impostos à cidade; aeroporto Galeão espera 22 mil passageiros

    Milhares se reuniram no Rock in Rio de 2017 para o sexto dia de shows, que teve Guns N' Roses e The Who como headliners.
    Milhares se reuniram no Rock in Rio de 2017 para o sexto dia de shows, que teve Guns N' Roses e The Who como headliners. NurPhoto via Getty Images

    Alana Gandrada Agência Brasil no Rio de Janeiro

    O Rock in Rio, que será realizado de 2 a 11 de setembro no Parque Olímpico, está agitando o setor turístico da cidade do Rio de Janeiro.

    O Rio Convention & Visitors Bureau (Rio CVB) estimou em US$ 158,48 milhões a receita do evento, com a geração de US$ 7,924 milhões de Imposto sobre Serviços (ISS) para a economia do município.

    Os cálculos são baseados no gasto médio per capita (por indivíduo) com despesas de hospedagem, alimentação, transporte no Brasil, compras pessoais e turismo na cidade.

    Assim como nas edições anteriores do festival, a rede hoteleira estima ocupação total de 100% dos leitos nos empreendimentos localizados no entorno do evento.

    Os demais segmentos do setor de turismo também deverão ser beneficiados com a realização dos shows, uma vez que os turistas aproveitam a oportunidade para conhecer a cidade.

    “O Rock in Rio já se consolidou como um dos maiores festivais do mundo e se tornou, junto com o réveillon e o carnaval, um dos principais eventos do Rio de Janeiro, gerando impacto positivo para a cidade como um todo”, disse a diretora executiva do Rio CVB, Roberta Werner, que está otimista com a realização do festival depois de uma pausa de três anos.

    “Por isso, trabalhamos constantemente para captar novos eventos para a cidade, a fim de movimentar o turismo ao longo de todo o ano”, afirmou.

    O secretário municipal de Turismo do Rio, Antônio Mariano, destacou a vocação natural do município para grandes eventos.

    “O Rock in Rio é prova disso. Depois de três anos, vamos receber centenas de milhares de turistas, querendo ver o maior festival de música do mundo. Um evento dessa magnitude, que carrega nossa marca no próprio nome, tem o enorme potencial de promover ainda mais o Rio, levantar a autoestima do carioca e girar a roda da economia com a geração milhares de empregos”, disse.

    Também o Aeroporto Internacional Tom Jobim/RIOgaleão, parceiro do Rio CVB, espera incremento em torno de 22 mil passageiros no período de 1º a 15 de setembro, com base nos voos previstos até o momento.

    O aumento será de 11% em relação à primeira quinzena do mês anterior.

    No total, são esperados 133 voos extras para o período, reforçando rotas já existentes, como São Paulo, Maceió e Recife, e adicionando três novos destinos: Curitiba, Florianópolis e Salvador.