Sala São Paulo já está adaptada para receber o público, diz diretor da OSESP

Diretor artístico da OSESP, Arthur Nestrovski, disse que a orquestra elaborou protocolo para voltar a receber plateia

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

Com o anúncio da aprovação por parte da prefeitura de São Paulo de protocolos para a volta da realização de eventos na cidade, a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP) e sua sede, a Sala São Paulo, estão prontos para receber o público de volta. Foi o que disse o diretor artístico da OSESP, Arthur Nestrovski, em entrevista à CNN nesta sexta-feira (25).

“A Sala São Paulo está equipada para receber o público. A própria OSESP estabeleceu um protocolo que se assemelha a de outras orquestras no mundo, como a Filarmônica de Berlim. Infelizmente não podemos dar uma data de retorno porque dependemos do poder público.”

Leia também

Cidade de São Paulo deve liberar eventos corporativos e acadêmicos

Entenda como será a reabertura do setor cultural em São Paulo

Diretor artístico da OSESP, Arthur Nestrovski, em entrevista para a CNN (25.set.
Diretor artístico da OSESP, Arthur Nestrovski, em entrevista para a CNN (25.set.2020)
Foto: CNN Brasil

Nestrovski explica que o orquestra já está há duas semanas realizando concertos digitais, seguindo os protocolos, que alterou até o tempo de ensaio dos músicos.

Sobre as mudanças dos programas, com as restrições, o diretor artístico disse que o OSESP vai manter os dias tradicionais das apresentações, que serão mais curtas e acontecerão em duas sessões para que todos consigam assistir aos concertos mesmo com número reduzido de assentos disponíveis.

Quanto ao programa de apresentações, Nestrovski afirma que vai manter o cronograma estipulado no início do ano, destacando a homenagem da OSESP aos 250 anos de Beethoven.

“Vamos conseguir cumprir o maior círculo de obras de Beethoven na história do país em comemoração aos seus 250 anos. Além disso, vamos lembrar o centenário de morte de Alberto Nepomuceno, importante compositor brasileiro.”

(Edição: Sinara Peixoto)

Mais Recentes da CNN