Covas assina protocolos para retomada de atividades culturais em São Paulo


Murillo Ferrari, da CNN, em São Paulo
24 de setembro de 2020 às 16:34
O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, durante cerimônia

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, durante cerimônia de assinatura dos protocolos de retomada de atividades culturais na cidade

Foto: Reprodução (24.set.2020)

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), assinou nesta quinta-feira (24) seis protocolos relacionados à retomada das atividades na área cultural. A CNN antecipou na quarta-feira (23) a assinatura dos protocolos pelo prefeito.

As normas, que entrarão em vigor quando a cidade passar para a fase 4 (verde) do Plano São Paulo, estabelecem regras para o funcionamento de bibliotecas, museus, galerias, cinemas, teatros, espetáculos e também para a realização de eventos.

“Nossa expectativa é que no começo de outubro essa reclassificação possa acontecer e os protocolos já estarão assinados”, disse o prefeito. A estimativa da prefeitura é que isso aconteça em 9 de outubro.

Tabela do governo de São Paulo com as fases do plano de retomada das atividades

Tabela do governo de São Paulo com as fases do plano de retomada das atividades

Foto: Divulgação/Governo do Estado de São Paulo (1º.jun.2020)

Leia também:
Casas noturnas de São Paulo se reinventam para driblar a crise
'Multas vão chegar no momento oportuno', diz diretor do Detran de São Paulo

Em discurso durante a cerimônia de assinatura, que contou com representantes do setor, o prefeito agradeceu a colaboração da população e dos empresários na contenção da pandemia. 

"A cidade atravessou e está atravessando essa pandemia com números bem melhores comparado a cidades do mesmo porte e tamanho, como Nova York", disse. "Parte desse sucesso se deve a nossa população, que entendeu o recado e permaneceu dentro de casa, mudou seus hábitos e costumes, e, acima de tudo, os nossos geradores de emprego e renda que tiveram que se sacrificar para que a cidade atravessasse esse período". 

Ele disse que, apesar de ter um "horizonte de reabertura", ainda não é momento de relaxamento total. "É importante lembrar que ainda não é comemoração do fim da pandemia, é o momento de começar a flexibilizar pensando nos empregos, nas pessoas e no setor produtivo, mas sem deixar de lado o bem maior, que é a preservação de vidas aqui na cidade". 

Volta de eventos

Entre os protocolos assinados por Covas há, por exemplo, autorização para a retomada de eventos corporativos e acadêmicos com até 600 pessoas, desde que seguidos os protocolos sanitários determinados pelo estado e pela prefeitura.

“Eventos médios, com entre 600 e 2 mil pessoas, dependerão de autorização da vigilância sanitária, que vai aprovar caso a caso”, explicou Covas.

Já eventos com mais de 2 mil pessoas continuarão proibidos até que a cidade entre na fase 5 (azul), a última do Plano SP.

(Com informações de Felipe Boldrini e Anna Satie, da CNN, em São Paulo)