Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Vítimas de golpista do Tinder arrecadam mais de R$ 1 milhão em campanha

    As três mulheres que aparecem no documentário da Netflix pediram doações em campanha na internet

    Shimon Hayut, que se passava por Simon Leviev, e conhecido por ser o golpista do Tinder
    Shimon Hayut, que se passava por Simon Leviev, e conhecido por ser o golpista do Tinder Reprodução/Instagram

    CNN Brasil

    Ouvir notícia

    Dois meses depois de lançarem uma campanha na plataforma GoFundMe, Pernilla Sjoholm, Cecilie Fjellhøy e Ayleen Charlotte, as três mulheres que aparecem no documentário “O Golpista do Tinder”, da Netflix, conseguiram arrecadar mais de 180 mil libras – cerca de R$ 1,1 milhão.

    O valor, segundo a mensagem no site da campanha, é para pagar a dívida adquirida após elas terem sido enganadas por Shimon Hayut, um israelense que se passava por um filho de um magnata dos diamantes.

    “Somos muito gratas por toda a ajuda que recebemos para recuperar a nossa vida e pagar a nossa dívida! Recebemos mais do que esperávamos”, escreveram as vítimas na página da campanha, que foi encerrada após as mais de 9 mil doações anônimas.

     

    “O Golpista do Tinder” ganhou repercussão mundial após a estreia na Netflix no ano passado, ao mostrar como o suposto milionário Shimon Hayut praticava os famosos golpes de relacionamento on-line em diversos lugares na Europa.

    O israelense que se passava por Simon Leviev iniciava um namoro com as vítimas e depois partia para um período de extorsões financeiras até que as mulheres fossem à falência. Em pouco tempo, o documentário tornou-se um dos mais assistidos da plataforma.

    Hoje, Pernilla, Cecilie e Ayleen, que viviam em diferentes países na época do relacionamento, que aconteceu quase que simultaneamente com Hayut, são amigas. Cecilie Fjellhøy, que é norueguesa, comanda a organização action:reaction, para apoiar e falar sobre questões relacionadas à fraude.

    *Editado por Thayana Nunes.

    Mais Recentes da CNN