Vettel deixará a Ferrari no fim da temporada 2020 de Fórmula 1

Tetracampeão da categoria se juntou à equipe em 2015 com sonho de repetir feitos de Michael Schumacher; Daniel Ricciardo e Carlos Sainz são favoritos para vaga

Reuters
12 de maio de 2020 às 09:30
Depois de 5 anos pilotando pela Ferrari, Sebastian Vettel deixará a equipe no fim da temporada 2020 da F1
Foto: Loren Elliott -12.mar.2020/ Reuters

O tetracampeão mundial de Fórmula 1 Sebastian Vettel deixará a Ferrari ao final da temporada de 2020. O anúncio foi feito pela equipe nesta terça-feira (12) depois que as negociações de um novo contrato terminaram sem acordo.

“Essa foi uma decisão tomada de forma conjunta por nós e por Sebastian, e o sentimento de ambas as partes é o melhor”, afirmou Mattia Binotto, chefe da Ferrari, em nota. “Não foi uma decisão fácil considerando o valor de Sebastian como piloto e como pessoa.”

Vettel se juntou à Ferrari em 2015 com o sonho de repetir os feitos de seu herói da infância e hepta campeão da categoria, Michael Schumacher, mas não consegui conquistar nenhum título pela equipe.

O futuro do piloto de 32 anos ainda é uma incógnita e existe a possibilidade de ele se aposentar do esporte – cuja atual temporada ainda não começou em razão da pandemia do novo coronavírus.

Leia também:

Fórmula 1 quer começo da temporada 2020 para julho na Áustria

F1 cancela corrida em Mônaco por surto de coronavírus

"Para obter os melhores resultados possíveis nesse esporte, é vital que todas as partes trabalhem em perfeita harmonia", disse Vettel. "A equipe e eu percebemos que não há mais um desejo comum de permanecer juntos depois do final desta temporada."

"A questão financeira não teve influência nesta decisão conjunta. Não é assim que penso quando se trata de fazer certas escolhas e nunca será", ressaltou o piloto.

"O que está acontecendo nos últimos meses levou muitos de nós a refletir sobre quais são nossas verdadeiras prioridades na vida", acrescentou Vettel, referindo-se à pandemia de Covid-19, que colocou grande parte do planeta em isolamento.

“[Usarei os próximos meses] para refletir sobre o que realmente importa quando se trata do meu futuro."

Momento de sair

A mídia alemã, que relatou na noite de segunda-feira a saída de Vettel da Ferrari, informou que o piloto rejeitou os termos do contrato apresentado pelo time.

O novo acordo ofereceria a Vettel, que venceu 14 corridas com a equipe e é o terceiro piloto de maior sucesso ativo na categoria, uma extensão de apenas um ano com redução de salário.

A Ferrari havia dito que o alemão, que conquistou seus títulos com a Red Bull entre 2010 e 2013, era sua primeira escolha para a parceria com Charles Leclerc em 2021.

Leia também:

Sir Stirling Moss, lenda do automobilismo, morre aos 90 anos em Londres

Funcionários da equipe Mercedes de F1 criam aparelho respiratório mais eficiente

Binotto disse que não havia uma razão para a separação "além da crença comum e amigável de que havia chegado o momento de seguir caminhos separados para alcançar os objetivos".

Leclerc, que venceu duas corridas no ano passado e tem apenas 22 anos, tem contrato até 2024 e é visto como o futuro de uma equipe que conquistou o campeonato de pilotos pela última vez com Kimi Raikkonen, em 2007.

O monegasco superou Vettel no ano passado em sua primeira temporada na Ferrari, terminando à frente do alemão no campeoanto e conquistando mais pontos, poles, pódios e vitórias.

"Foi uma grande honra para mim ser seu companheiro de equipe", disse Leclerc no Twitter. "Tivemos alguns momentos tensos nas pistas, alguns muito bons e outros que não terminaram como nós dois queríamos, mas sempre houve respeito, mesmo que não foi percebido dessa maneira do lado de fora. Eu nunca aprendi tanto como aprendi com você como meu companheiro de equipe. Obrigado por tudo, Seb."

O australiano Daniel Ricciardo, da Renault, e o espanhol da McLaren, Carlos Sainz, são considerados os principais candidatos a ocupar a vaga de Vettel, uma das mais cobiçadas do grid da F1.

O heptacampeão mundial Lewis Hamilton também já teve o nome vinculado à Ferrari, apesar de dizer, repetidamente, que pretende ficar na Mercedes.