Contratação de Neymar pelo Barcelona não foi transparente, avalia Juca Kfouri

Jornalista comentou o segundo episódio de "Além das Quatro Linhas - As Denúncias", do Séries Originais

Da CNN
20 de julho de 2020 às 13:59

 

Em entrevista à CNN na manhã desta quarta-feira (20), o jornalista Juca Kfouri comentou a entrevista de Ricardo Teixeira, ex-presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) à âncora da Monalisa Perrone no progama Séries Originais sobre a transferência do atacante Neymar para o Barcelona.

O ex-cartola revelou os bastidores da amizade com o ex-presidente do time catalão, Sandro Rosell, e o livre acesso dele ao ônibus da seleção inclusive na época da negociação do clube espanhol com o jogador.

Na avaliação de Kfouri, Teixeira "faltou com a verdade" em diversos momentos da entrevista dada com exclusividade à CNN. Para ele, faltou transparência no processo de contratação do atacante Neymar Júnior, transferido para o clube esponhol em 2013. 

Leia também:

Dudu troca o Palmeiras por clube do Catar após acusação de agressão da ex-mulher

Presidente do Corinthians admite endividamento, mas nega que clube esteja falido

"[Ricardo Teixeira] é um personagem triste da história do nosso futebol. Essa é a cartolagem nacional, infelizmente. Por por causa desta contratação do Neymar, Rosell ficou 21 meses preso na Espanha, depois foi solto e absolvido porque o Barcelona assumiu como Pessa Jurídica o processo. Portanto, não foi uma contratação transparente, não tenho a menor dúvida em dizer", afirma.

O jornalista também analisou a relação entre Sandro Rosell e o ex-presidente da CBF. "Sandro Rosell, ex-presidente do Barcelona, fez um contrato milionário com a CBF, mas no qual a Confederação perdeu totalmente sua autonomia para marcar amistosos e até mesmo na escalação do time. Pois no contrato previa-se que devia ter um número mínimo de titulares. Ou seja, o técnico da seleção não tinha autonomia para escalar os jogadores que queria, alguns jogadores teriam que estar no time", avalia.

(Edição: Leonardo Lellis)