Brasil sugere a COI que se mantenha Olimpíada de Tóquio em julho de 2021

Presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Paulo Wanderley Teixeira falou à CNN sobre a realização da Olimpíada de Tóquio

Da CNN, em São Paulo
22 de janeiro de 2021 às 10:35 | Atualizado 22 de janeiro de 2021 às 10:36


Presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Paulo Wanderley Teixeira defende a realização da Olimpíada de Tóquio em julho de 2021. Em entrevista à CNN, ele afirmou acreditar que o Japão tem os recursos necessários para evitar uma possível contaminação por Covid-19 entre os atletas.

"No ano passado, o Brasil foi o segundo cômite do mundo a sugerir o adiamento, o primeiro foi a Espanha", disse Teixeira nesta sexta-feira (22). "Nesse momento, o Brasil está ao contrário, sugerimos que se mantenha a data porque temos consciência de que haverá mecanismos necessários para, pelo menos, amenizar e bloquear essa expansão [da pandemia]", completou.

Uma reportagem do jornal britânico The Times, que alegava haver um consenso no governo japonês sobre a inviabilidade de realizar os Jogos em 2021, foi desmentida pelo Japão. Um porta-voz do governo japonês disse que "não há verdade" na reportagem do The Times segundo a qual o Japão agora está focado em remarcar o evento para 2032.

"Ontem, quando comecei a escutar as notícias [sobre adiamento da Olimpíada], apurei com alguns amigos dentro do próprio comitê organizador em Tóquio. Não havia nenhum pronunciamento oficial de governo ou do próprio Comitê Olímpico Internacional, muito pelo contrário: as Olímpiadas acontecerão sim, haverá restrições, claro, mas acontecerão", contou o presidente do COB.

Olimpíada de Tóquio seria realizada de 24 de julho a 9 de agosto e agora é prevista para julho de 2021
Foto: Denis Balibouse - 24.mar.2020/ Reuters 

(Publicado por Leonardo Lellis)