COI diz que mais de 80% da Vila Olímpica será vacinada antes do início dos Jogos

A Olimpíada de Tóquio começa em 23 de julho; os japoneses acreditam que o evento pode sobrecarregar o sistema de saúde já afetado pela pandemia

Reuters
21 de maio de 2021 às 09:57 | Atualizado 21 de maio de 2021 às 11:28
Logo da Olimpíada Tóquio 2020
Logo da Olimpíada Tóquio 2020
Foto: ´Issei Kato/Reuters

A apenas nove semanas do início da Olimpíada de Tóquio, o Comitê Olímpico Internacional (COI) procurou nesta sexta-feira (21) acalmar os temores dos japoneses de que os Jogos representariam um fardo adicional para um sistema médico já afetado pela pandemia.

Encerrando uma reunião de três dias para discutir os preparativos para a Olimpíada e as medidas contra o coronavírus, as autoridades disseram que mais de 80% dos residentes da Vila Olímpica seriam vacinados antes de 23 de julho, quando os Jogos começam.

O evento esportivo global, que foi adiado por um ano devido à pandemia de Covid-19, enfrenta oposição crescente do público, e em uma pesquisa quase 70% dos entrevistados disseram que queriam o cancelamento ou adiamento adicional.

"Posso dizer que agora está mais claro do que nunca que esses Jogos seriam seguros para todos os participantes e, mais importante, seguros para o povo do Japão", disse o vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), John Coates, responsável pelos preparativos, ao final da reunião.

Ele acrescentou a uma equipe médica adicional faria parte das delegações olímpicas estrangeiras para apoiar as operações médicas e a implementação das medidas contra a Covid-19 nos Jogos.

Os organizadores também estão tomando providências para reduzir pela metade o número de pessoas que vêm ao Japão como parte das delegações olímpicas estrangeiras, informou a emissora NHK nesta quinta-feira (20).

Espera-se que cerca de 94 mil pessoas viajem ao Japão para os Jogos, que está abaixo da estimativa inicial de 200 mil da NHK, citando fontes governamentais não identificadas.