MT, RJ, DF e GO sediarão Copa América, diz governo

O anúncio foi feito pelo ministro da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, que confirmou que as partidas serão disputadas sem público

Da CNN, em São Paulo*
01 de junho de 2021 às 18:11 | Atualizado 01 de junho de 2021 às 19:54

As partidas da Copa América no Brasil serão nos estados de Mato Grosso, Rio de Janeiro, Distrito Federal e Goiás. O anúncio foi feito nesta terça-feira (1º) pelo ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, no Twitter.

O ministro também confirmou que as partidas serão disputadas sem público.

Há menos de uma hora, em evento de transferência de tecnologia de vacina nesta tarde, Bolsonaro disse que a CBF, em colaboração com a Casa Civil, está escolhendo as cidades-sede em comum acordo com governadores.

De acordo com o presidente, quatro gestores estaduais já se prontificaram: os de Brasília, Rio de Janeiro, do Mato Grosso do Sul e de Goiás -- no entanto, o estado confirmado por Ramos é Mato Grosso, não Mato Grosso do Sul. Outro também teria manifestado interesse, mas Bolsonaro não disse de qual estado. "Ao que tudo indica, o Brasil sediará a Copa América", declarou.

O governo do Distrito Federal informou que "nada foi comunicado oficialmente".

Estádio Mané Garrincha
Estádio Mané Garrincha, em Brasília, reformado para a Copa de 2014
Foto: Danilo Borges/Portal da Copa/Wikimedia

Em nota, o governador de Mato Grosso informou que entrou em contato com a direção da CBF. Mauro Mendes (DEM) recebeu a informação de que a cidade de Cuiabá está em análise e que "o governo acredita ser possível a realização dos jogos da Copa América".

Já a prefeitura de Cuiabá demonstrou preocupação. "Diante da iminência de uma terceira onda da Covid-19, a prefeitura pede que a população não se descuide e vê com preocupação a realização da Copa América neste momento tão crucial em que novas variantes do vírus surgem a toda hora."

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou à CNN que vai "trabalhar para que seja um belo evento e para que não tenhamos efeitos negativos na saúde"

Em nota, o prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), afirmou que recebeu uma ligação do governador goiano, Ronaldo Caiado (DEM), nesta terça-feira, "para consultá-lo sobre a realização da Copa América em Goiás".

"O prefeito lembrou que os estádios da capital são geridos pelo Estado e que, estabelecidos protocolos sanitários seguros, é favorável à realização do torneio, assim como ocorreram partidas dos campeonatos nacionais da Série A e B, Copa Sul-Americana e Copa do Brasil em Goiânia", informou a assessoria de Cruz em nota.

Ontem, a Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) confirmou que a Copa América seria no país, mas Ramos disse não haver "nada certo". A confirmação oficial do governo só veio nesta terça.

A competição está prevista para acontecer entre 13 de junho e 10 de julho. 

A realização da Copa América no país é motivo de críticas por especialistas em razão do momento de pandemia: além da inadequação de se fazer um evento festivo enquanto o país soma mais de 465 mil mortos pela Covid-19, os críticos apontam os riscos sanitários na chegada de viajantes de países vizinhos ao mesmo tempo em que tenta controlar a proliferação de variantes vindas do exterior.

(*Com informações de Bárbara Baião, Gustavo Uribe, Larissa Rodrigues e Leandro Resende, da CNN, em Brasília e no Rio de Janeiro)