Após revelar que é gay, Josh Cavallo diz ‘ter medo’ de jogar Copa do Mundo no Catar

Atleta australiano expressou preocupação com o torneio futebolístico programado para 2022 no país árabe, onde a homossexualidade pode ser punida com até três anos de prisão

Josh Cavallo em jogo pelo Adelaide United, da Austrália
Josh Cavallo em jogo pelo Adelaide United, da Austrália Reprodução/joshua.cavallo/Instagram

George Ramsayda CNN

Ouvir notícia

Após tornar-se no mês passado o único jogador em atividade assumidamente gay no futebol masculino, Josh Cavallo disse em uma nova entrevista ao jornal The Guardian que ficaria “com medo” de jogar a Copa do Mundo de 2022 no Catar devido às leis contra a homossexualidade do país.

Cavallo, que joga pelo Adelaide United na A-League da Austrália, recebeu amplo apoio da comunidade do futebol e de outros lugares ao anunciar nas redes sociais que era gay – incluindo o zagueiro Gerard Piqué do Barcelona, ​​o atacante do Atlético de Madrid Antoine Griezmann e o meio-campista do Liverpool Jordan Henderson.

O jovem de 21 anos já expressou suas preocupações sobre a Copa do Mundo do próximo ano no Catar, onde a homossexualidade é ilegal e pode ser punida com até três anos de prisão.

“Me entristece ver isso. Eu li algo sobre pena de morte para gays no Catar. É algo de que tenho muito medo e não gostaria de ir ao país por causa disso”, disse Cavallo ao podcast Today in Focus do Guardian.

Ele acrescentou: “Uma das maiores conquistas como jogador de futebol profissional é jogar pelo seu país e saber que [a Copa do Mundo] é em um país que não apóia gays e nos coloca em risco de vida, me assusta e me faz reavaliar. Minha vida é mais importante do que fazer algo realmente bom na minha carreira?”

De acordo com um relatório sobre homofobia patrocinada por Estados elaborado por Lucas Ramón Mendos, do grupo de direitos humanos ILGA World, o Catar “dirige tribunais da Sharia, onde tecnicamente é possível que homens muçulmanos sejam condenados à morte por comportamentos sexuais entre pessoas do mesmo sexo”.

No entanto, o relatório acrescenta: “Não parece que qualquer pessoa tenha sido executada por este ou qualquer outro motivo.”

Em uma entrevista para Amanda Davies, da CNN, em 2017, Nasser Al Khater, presidente-executivo do comitê organizador da Copa do Mundo de 2022, disse: “Não colocamos quaisquer restrições a qualquer nacionalidade ou qualquer pessoa com relação a gênero, raça, orientação e religião para participar desta Copa do Mundo”.

Em sua entrevista ao Guardian, Cavallo refletiu sobre a angústia que sofreu antes de tomar a decisão de falar publicamente sobre sua sexualidade.

“Não ter ninguém para observar e dizer: ‘ok, eles estão jogando futebol e são gays e estão tendo uma carreira de sucesso’ – isso era algo que me assustava, algo que me preocupava”, disse.

O jogador australiano Josh Cavallo
O jogador australiano Josh Cavallo / Foto: Reprodução/Twitter

“Se, potencialmente, algum dia eu revelasse minha sexualidade, isso afetaria minha carreira de uma maneira ruim?”, questionou.

“Só quando estava sozinho é que eu podia relaxar genuinamente e não me preocupar e não me estressar […] Eu vivia naquele medo e dúvida constantes de ser questionado. Isso é algo que você reproduz indefinidamente em sua cabeça.”

Cavallo, que assinou uma extensão de contrato com o Adelaide United até o final da temporada 2022/23, também falou sobre a “reação fantástica” de seus companheiros de equipe após sua revelação, bem como o efeito positivo que teve sobre ele como pessoa.

“É uma sensação incrível. Eu não posso dizer como me sinto bem. Agora que o mundo sabe e meus companheiros sabem e não é um segredo, eu me sinto imparável. É realmente incrível. Essa liberdade na minha cabeça e o espaço que eu tenho agora são tão bons.”

(Texto traduzido; leia o original em inglês)

Mais Recentes da CNN