Coreia do Norte diz que não participará das Olimpíadas de Inverno de Pequim

País asiático já havia sido suspenso até o final de 2022 pelo Comitê Olímpico Internacional por não enviar equipe aos Jogos de Tóquio de 2020

Líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, em Pyongyang12/02/2021 KRT TV via REUTERS
Líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, em Pyongyang12/02/2021 KRT TV via REUTERS KRT TV via REUTERS

Josh Smithda Reuters

Ouvir notícia

Em uma carta enviada à China, a Coreia do Norte culpou “forças hostis” e riscos com a Covid-19 pela decisão de não comparecer aos Jogos Olímpicos de Inverno de Pequim, e acusou os Estados Unidos de tentarem impedir o sucesso dos Jogos, conforme anunciou a imprensa estatal do país nesta sexta-feira (7).

Não está claro se a carta do Comitê Olímpico e Ministério dos Esportes da Coreia do Norte fazia referência apenas aos atletas do país, que já não estão aptos a competir, uma vez que a Coreia do Norte foi suspensa do Comitê Olímpico Internacional (COI) até o final de 2022 por não enviar equipe aos Jogos Olímpicos de Tóquio, no ano passado, devido aos temores com a Covid.

Um resumo da carta feito pela agência estatal KCNA não fez menção a uma delegação diplomática, e o país manteve seu rígido lockdown nas fronteiras, que impediu até mesmo a entrada de seus próprios diplomatas e sufocou praticamente todo o comércio.

A carta critica medidas não especificadas dos Estados Unidos, que, em dezembro, anunciaram que suas autoridades governamentais irão boicotar os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022 por conta do histórico da China de abusos contra os direitos humanos, mas deixando atletas norte-americanos livres para viajar para Pequim e competir.

Vários outros países, incluindo Reino Unido, Austrália e Canadá, também anunciaram boicotes diplomáticos desde então.

“Os EUA e seus vassalos estão cada vez mais descarados em suas medidas contra a China, com o objetivo de prevenir a abertura bem-sucedida dos Jogos Olímpicos”, afirma a carta norte-coreana, chamado as medidas de “um insulto ao espírito do estatuto olímpico internacional e de um ato com objetivo de desgraçar a imagem internacional da China”.

Mais Recentes da CNN