Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    CNN Esportes

    Justiça do Rio libera São Januário para jogo do Vasco

    Partida contra o Cruzeiro acontecerá no próximo dia 8, mas não poderá contar com a presença de público

    Estádio foi liberado para receber jogos sem torcida
    Estádio foi liberado para receber jogos sem torcida Divulgação / Vasco

    Guilherme Abrahãoda Itatiaia

    Rio de Janeiro

    A Justiça do Rio de Janeiro liberou o Estádio de São Januário para receber jogos do Vasco, mas sem público. Com isso, a partida contra o Cruzeiro, no dia 8, acontecerá na casa vascaína.

    O estádio foi interditado no dia 23, um dia após as confusões protagonizadas pelos vascaínos, na derrota para o Goiás, por 1 a 0, na Série A do Campeonato Brasileiro.

    O Vasco foi punido preventivamente, por 30 dias até o julgamento ser realizado, de atuar com portões fechados e o estádio foi interditado. O confronto diante do Cuiabá ocorreu no Luso-Brasileiro, na Ilha do Governador.

    Vale lembrar que, neste período, mesmo atuando como visitante a torcida do Vasco está proibida de frequentar estádios. Para o confronto diante do Botafogo, no domingo (2), no Nilton Santos, o setor que seria destinado aos vascaínos seria comercializado para os botafoguenses.

    O desembargador José Roberto Portugal Compasso foi quem publicou a decisão. “A vedação da presença de torcedores/consumidores afasta, por si só e em elevado grau, os riscos descritos na inicial da ação civil pública e que serviram de fundamento para a douta decisão agravada. Presume-se que o agravante dispõe de todas as autorizações exigidas em lei, uma vez que, evidentemente, a fiscalização por parte das autoridades administrativas deve ser contínua. A ausência de público permitirá a segurança dos profissionais que, eventualmente, vieram a atuar no estádio. Nessas circunstâncias, para realização de jogos de futebol com ‘portões fechados’ não se vislumbra riscos de dano”, diz o despacho.

    Este conteúdo foi criado originalmente em Itatiaia.

    versão original

    Mais Recentes da CNN

    Mais Recentes da CNN