UE pede que países do bloco se unam para compras antecipadas de vacinas

Principal autoridade de saúde da União Europeia também instou os líderes europeus a cancelarem iniciativas paralelas

Reuters
12 de junho de 2020 às 10:46
Técnicos de laboratório suíço realizam testes relacionados a pesquisas sobre vacina contra a Covid-19
Foto: Arnd Wiegmann - 22.abr.2020 / Reuters

A Comissão Europeia recebeu uma ordem política oficial nesta sexta-feira (12) dos governos da União Europeia (UE) para negociar, em nome deles, compras antecipadas de promissoras vacinas contra o novo coronavírus, disse a principal autoridade de saúde do bloco, que pediu também a esses países para cancelarem iniciativas paralelas.

Em uma entrevista coletiva, a comissária para Saúde da UE, Stella Kyriakides, disse que há um apoio “esmagador” dos líderes do bloco para um plano da Comissão de usar um fundo de € 2,4 bilhões (cerca de R$ 13,6 bilhões) para comprar antecipadamente vacinas contra a Covid-19.

Alemanha, França, Itália e Holanda já estão conversando com companhias farmacêuticas para comprar os produtos, medida que poderia enfraquecer a abordagem conjunta da UE.

Assista e leia também:
Doria: vacina para Covid-19 que será feita em SP está em última fase de testes
Quando teremos uma vacina para a Covid-19?
Vacina da Covid-19: conheça a situação das maiores pesquisas

Kyriakides afirmou que as iniciativas têm o mesmo objetivo. “Ambas devem convergir para o benefício de todos os 27 [países da UE]. Trata-se de trabalhar em conjunto e não em competição”, ressaltou ela.

A comissária alertou ainda que a crise de saúde pública causada pela pandemia de Covid-19 na Europa ainda não acabou. Ela pediu aos governos que permaneçam vigilantes e avancem com testes e monitoramento da população.

"Isso ainda não ficou para trás. Precisamos estar vigilantes", disse Kyriakides a ministros da saúde do bloco em uma videoconferência, em meio a temores de uma nova onda de infecções, à medida que os países europeus reabrem gradualmente comércios e fronteiras.