Reino Unido diz que garantiu acesso antecipado a 90 milhões de doses de vacinas

Anúncio surge após um acordo de licenciamento global assinado com a AstraZeneca e a Universidade de Oxford

Da CNN
20 de julho de 2020 às 08:13 | Atualizado 20 de julho de 2020 às 08:13
Agente de saúde manuseia vacina em teste para Covid-19
Foto: Dado Ruvic - 10.abr.2020 / Reuters

O governo britânico afirmou que garantiu acesso antecipado a mais de 90 milhões de doses de vacina, assim como a tratamentos de anticorpos neutralizantes da Covid-19, afirmou Alok Sharma, secretário de Estado para Negócios, nesta segunda-feira (20)

O anúncio surge após um acordo de licenciamento global assinado com a AstraZeneca e a Universidade de Oxford para pesquisa, desenvolvimento e fabricação de 100 milhões de doses de vacina para o novo coronavírus para a população britânica.

“A caça para encontrar uma vacina é um verdadeiro esforço global, e estamos fazendo tudo o que podemos para garantir que o povo britânico tenha acesso a uma vacina segura e eficaz contra o novo coronavírus assim que possível”, disse Sharma. Ele também anunciou uma parceria com as empresas BioNTech/Pfizer e Valneva, que estão desenvolvendo vacinas para a Covid-19.

Assista e leia também:

Promessa de vacina antes de conclusão dos testes é prematura, diz infectologista

'Impossível ficar indiferente', diz 1ª voluntária de vacina para Covid no Brasil

O que se sabe sobre a vacina da empresa Moderna contra a Covid-19

“Essa nova parceria com algumas das principais empresas farmacêuticas e de vacinas do mundo vão garantir que o Reino Unido tenha a melhor chance possível de obter uma vacina que proteja os que estão mais em risco”, explicou.

A farmacêutica Valneva, com sede na França, confirmou o “acordo em princípio” com o governo britânico, dizendo que “forneceria mais de 100 milhões de doses da candidata à vacina para a Covid-19”.

“O governo britânico deve contribuir com os custos dos estudos clínicos e está negociando fundos para ampliar a estrutura da Valneva na Escócia”, afirmou.

Voluntários

Sharma encoraja as pessoas a se inscreverem em um novo site do Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido (NHS, em inglês), que visa tornar “mais rápido e mais fácil” para voluntários fazerem parte de estudos e testes.

“As pessoas também podem fazer a sua parte nas pesquisas por vacinas através do novo registro de estudos do NHS”, disse ele, acrescentando que o objetivo é reunir 500 mil indivíduos na plataforma até outubro.

“Ao se inscrever e participar de estudos clínicos importantes, podemos juntos acelerar a busca por uma vacina e encerrar a pandemia mais cedo”, afirmou.

(Com informações de Arman Azad, da CNN, em Virginia, Fred Pleigten, da CNN, em Berlim, e Vasco Cotovio, da CNN, em Lisboa)