Bolsonaro amplia comitiva de ajuda ao Líbano; missão parte nesta quarta

Novos nomes foram designados para a missão que segue a Beirute. Ajuda humanitária inclui 300 ventiladores pulmonares mecânicos e 100 mil máscaras cirúrgicas

Diego Freire, da CNN, em São Paulo
12 de agosto de 2020 às 01:20 | Atualizado 12 de agosto de 2020 às 06:49


Em decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (12), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) designou novos enviados que farão parte da missão humanitária do Brasil que levará ajuda ao Líbano, após a explosão que matou mais de 160 pessoas e destruiu parte de Beirute em 4 de agosto.

Foram publicados cinco novos nomes para integrar a missão, com previsão de duração entre 12 e 30 de agosto de 2020. Os novos enviados devem permanecer na comitiva por 15 dias a mais do que as autoridades originalmente anunciadas para o grupo de auxílio - incluindo o ex-presidente Michel Temer o presidente Fiesp Paulo Skaf -, que devem retornar no sábado (15).

Leia também:

Michel Temer: Brasil vai buscar ajudar na 'pacificação' da política no Líbano

Diplomatas retornam à embaixada brasileira em Beirute uma semana após explosão

O presidente Jair Bolsonaro em Brasília
Foto: Adriano Machado/Reuters (5.ago.2020)

Na manhã desta quarta, o presidente viaja para São Paulo, onde participará da solenidade de embarque da missão.

Entre os nomes já confirmados na comitiva estavam os do ex-presidente Michel Temer - que, na condição de investigado da Justiça, precisou de uma autorização especial para deixar o país - e do presidente da Federação de Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, ambos de ascendência libanesa.

Em decreto publicado no DOU desta quarta, o presidente incluiu cinco nomes na missão: Daniel Köhler Leite, terceiro secretário da Divisão de Comunicação Institucional do Itamaraty; Vitor Miranda, médico cirurgião ortopedista do Institucional Nacional de Traumatologia e Ortopedia do Ministério da Saúde; Leno Rodrigues Queiroz, assesor técnico do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres, do Ministério do Ministério do Desenvolvimento Regional; Ana Rodrigues Feeire, coordenadora da mesma equipe de gerenciamento de desastres; e Raquel Negrelle, professora do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da Universidade Federal do Paraná. 

Também foi publicada no Diário Oficial uma retificação da lista previamente anunciada com os designados originalmente para a missão, mas sem alterar nomes da comitiva e apenas acrescentando detalhes de seus cargos. 

Doações

A agenda oficial de Bolsonaro prevê que ele participe, entre as 9h20 e 9h50 desta quarta-feira, da solenidade do lançamento da missão, em São Paulo.

As aeronaves KC-390 Millennium e Embraer 190 (VC-2), da Força Aérea Brasileira têm previsão de decolagem da Base Aérea de São Paulo, nesta quarta, rumo a Fortaleza (CE), onde será realizado o primeiro intervalo técnico. Na sequência, os aviões seguem para a Ilha do Sal e prosseguem para Valência, Espanha. Depois, decolam rumo a Beirute, com chegada prevista para a tarde da quinta-feira (13).

Segundo apuração da CNN, o primeiro compromisso da comitiva será na quinta-feira (13), quando os integrantes se reunirão com o encarregado brasileiro de negociações em Beirute e, em seguida, se encontrarão com líderes religiosos. Na sexta-feira (14),  há previsão de a delegação brasileira se reunir com o presidente libanês, Michel Aoun, visitar o Parlamento do Líbano e, em seguida, participar de ato simbólico de entrega da ajuda humanitária ao governo libanês. 

A ajuda humanitária do governo brasileiro ao Líbano incluirá 300 ventiladores pulmonares mecânicos e 100 mil máscaras cirúrgicas. O Ministério da Saúde argumentou que os ventiladores foram adquiridos pelo Brasil especialmente para serem doados ao Líbano, sem prejuízo aos equipamentos usados no tratamento da covid-19 no Brasil.

O Ministério da Saúde ainda enviará 16 médicos voluntários, entre ortopedistas e anestesistas, para auxiliar o atendimento às vítimas das explosões no porto de Beirute na semana passada. Os equipamentos serão enviados nesta semana no KC-390, cargueiro da FAB que o governo destinou para transportar a ajuda ao Líbano. O governo brasileiro ainda doará 4 mil toneladas de arroz, que serão enviados por navio ao país e devem chegar em até 14 dias.

 

Veja os integrantes da comitiva, segundo publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (12):

Delegação para representar o Governo brasileiro em Missão Especial a Beirute, República do Líbano, no período de 12 a 15 de agosto de 2020:


COMITIVA OFICIAL:
MICHEL MIGUEL ELIAS TEMER LULIA, ex-Presidente da República;
NELSON TRAD FILHO, Senador da República;
LUIZ OSVALDO PASTORE, Senador da República;
FLÁVIO AUGUSTO VIANA ROCHA, Almirante-de-Esquadra, Secretário de Assuntos Estratégicos
da Presidência da República;
KENNETH FÉLIX HACZYNSKI DA NÓBREGA, Embaixador, Secretário de Negociações Bilaterais
no Oriente Médio, Europa e África do Ministério das Relações Exteriores;
CARLOS AUGUSTO FECURY SYDRIÃO FERREIRA, General de Brigada, Representante do
Exército Brasileiro;
ALAN COELHO DE SÉLLOS, Ministro, Chefe do Cerimonial do Ministério das Relações Exteriores;
PAULO CÉSAR ANDARI, Brigadeiro-do-Ar, Chefe do Centro de Comunicação Social da Aeronáutica;
PAULO ANTÔNIO SKAF;
ELSON MOUCO JUNIOR;
LUCIANO FERREIRA DE SOUSA, Capitão-de-Corveta;
MARCELO RIBEIRO HADDAD, Subtenente;
MICHAEL PEREIRA FLORES, Segundo-Sargento;
RONALDO DA SILVA FERNANDES, Segundo-Sargento; e
SEBASTIÃO RUIZ SILVERIO JUNIOR.


Designados para integrar a missão multidisciplinar brasileira de assistência humanitária à República
Libanesa, em decorrência da explosão ocorrida no porto de Beirute, capital daquele país, com ônus, no período de 12 a 30 de agosto de 2020, incluído trânsito:

I - da Divisão de Comunicação Institucional, do Ministério das Relações Exteriores: DANIEL KÖHLER LEITE, Terceiro Secretário;
II - do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia, do Ministério da Saúde: VITOR ALMEIDA RIBEIRO MIRANDA, Médico Cirurgião Ortopedista;
III - do Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres, do Ministério do
Desenvolvimento Regional: LENO RODRIGUES QUEIROZ, Assessor Técnico;
ANA FLÁVIA RODRIGUES FREIRE, Coordenadora de Preparação; e
IV - da Faculdade de Agronomia, da Universidade Federal do Paraná: RAQUEL REJANE BONATO NEGRELLE, Professora Sênior do Programa de Pós-Graduação em Agronomia.

(Com informações de Juliana Lopes, da CNN)