Em Portland (EUA), uma pessoa morre baleada durante protestos

Polícia disse que o episódio aconteceu no centro da cidade, mas não ligou diretamente o ataque armado às manifestações

Da CNN
30 de agosto de 2020 às 03:36 | Atualizado 30 de agosto de 2020 às 19:03

Uma pessoa foi baleada e morreu nesse sábado (29) durante protestos na cidade de Portland, no estado norte-americano de Oregon, e a polícia investiga o caso. 

Uma das hipóteses é que manifestantes de grupos rivais tenham entrado em confronto. Há meses a região é palco de manifestações que algumas vezes se tornam violentas.

A polícia disse que o episódio aconteceu no centro de Portland, mas não ligou diretamente o ataque armado aos protestos.

Assista e leia também:
Nike afirma apoiar protesto de atletas da NBA a favor do 'Black Live Matters'
Jovem é preso suspeito de participar de tiroteio em protesto em Wisconsin
Caso Jacob Blake: o que se sabe sobre o homem negro baleado nos EUA

Segundo a polícia, médicos foram encaminhados ao local do disparo, mas vítima acabou morrendo
Foto: Sergio Olmos - 29.ago.2020 / via Reuters


“Uma investigação de homicídio está em andamento no centro de Portland depois de um disparo na noite de sábado”, afirmou um porta-voz da corporação em um comunicado.

Sons de disparos de armas foram ouvidos em algumas áreas. “[A polícia] respondeu e localizou a vítima de um tiro de arma de fogo no peito. Médicos foram encaminhados ao local e determinaram que a pessoa morreu”, segundo a nota da corporação, que não divulgou informações sobre suspeitos.

Questionado se o ataque armado no centro de Portland está relacionado aos confrontos entre manifestantes rivais na mesma região, o porta-voz disse que “é muito cedo para tirar esse tipo de conclusão”.

De acordo com o jornal The New York Times, duas testemunhas que não quiseram se identificar contaram que viram um pequeno grupo de pessoas discutindo com outras em um carro e alguém abriu fogo.

O homem que foi baleado e morto estava usando um chapéu com uma insígnia da Patriot Prayer (Oração Patriota), um grupo de extrema direita com base em Portland que entrou em confronto com outros manifestantes há algum tempo, segundo a publicação. A agência de notícias Reuters não conseguiu confirmar essa informação.

Protestos contra racismo e brutalidade policial estão varrendo os EUA desde a morte de George Floyd (em maio), um homem negro de 46 anos que morreu depois que um policial pressionou o joelho contra o pescoço dele por quase nove minutos.

(Com informações de Hollie Silverman e Alta Spells, da CNN, em Atlanta, e Reuters)