Biden amplia vantagem sobre Trump a dois meses das eleições nos EUA


Guilherme Venaglia, da CNN, em São Paulo
02 de setembro de 2020 às 18:32 | Atualizado 03 de setembro de 2020 às 08:31

O candidato do Partido Democrata a presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, ampliou a sua vantagem sobre o presidente Donald Trump para oito pontos percentuais, segundo pesquisa nacional da CNN divulgada na tarde desta quarta-feira (2).

O levantamento inclui, no questionamento aos eleitores, os nomes dos candidatos a vice-presidente de ambas as chapas, agora oficializados após as convenções dos dois partidos. No caso de Biden, a senadora Kamala Harris. No de Trump, o atual vice Mike Pence.

De acordo com a pesquisa, a chapa Biden-Harris tem 51% das intenções de voto, contra 43% da chapa Trump-Pence. O levantamento registra 3% de indecisos, 2% de "nenhum" e 1% direcionado aos candidatos independentes ou de pequenos partidos.

A pesquisa aponta que 43% dos americanos têm opiniões favoráveis sobre Kamala Harris, contra 39% de percepção desfavorável dela. Outros 11% disseram nunca ter ouvido falar sobre a senadora, enquanto 8% não tem opinião.

Já Mike Pence é aprovado por 41% e reprovado por 45%, sendo que apenas 7% não o conhecem e 6% não tem opinião formada sobre ele.

O novo levantamento ouviu 1.106 eleitores americanos, entre os dias 28 de agosto e 1º de setembro. A pesquisa anterior, feita entre os dias 12 e 15 de agosto, trazia Biden com 50% e Trump com 46% das intenções de voto.

Assista e leia também:

Governo dos EUA planeja vacinação contra a Covid-19 no final de outubro

Em Kenosha, Trump rechaça que violência policial seja sistêmica nos EUA

Joe Biden visita Kenosha, cidade de Jacob Blake, nesta quinta-feira

A margem de erro do levantamento é de 3,7 pontos percentuais, para mais ou para menos. A vantagem de Biden, de oito pontos, supera, portanto, a margem de erro.

Eleitores decididos

Outra boa notícia para Joe Biden é que seus eleitores afirmaram estar mais convictos que os de Trump a respeito do seu voto.

Entre os que declararam intenção de votar em Biden, 94% afirmaram estar decididos, 5% admitem mudar de ideia e 1% não souberam responder.

Já entre os que declararam preferência por Trump, 87% disseram que estão convictos sobre o seu voto, enquanto 12% admitem rever essa posição. Novamente, 1% não souberam responder.

Trump x Anti-Trump

A pesquisa da CNN indica que a maior parte dos eleitores que pretendem votar em Joe Biden estão fazendo essa opção não por se empolgarem com o nome democrata, mas sim por não querer ver Donald Trump por mais quatro anos na Casa Branca.

De acordo com o levantamento, 51% dos que declaram voto nos democratas em 2020 dizem que essa posição é mais um "voto contra Trump" do que um "voto por Biden", opção de 45%. Outros 4% dos eleitores de Biden não souberam responder.

Em contrapartida, os eleitores do atual presidente se colocam majoritariamente mais favoráveis a Trump do que contrários ao ex-vice-presidente.

Ao todo, 77% dos que declaram voto em Trump dizem que estão a favor do republicano, enquanto só 20% dizem ter feito essa opção para evitar a vitória de Joe Biden. Outros 3% não souberam responder.

Aprovação

O apoio ao governo de Donald Trump teve uma oscilação negativa dentro da margem de erro, passando de 42% para 41%.

Paradoxalmente, a rejeição também caiu, de 54% para 53%. Cresceram acima da margem de erro os americanos indecisos sobre o que pensam de Trump, que eram 3% e agora são 7%.

O índice de aprovação registrado hoje por Trump é maior do que o verificado no pior momento durante a pandemia, de junho, quando a aprovação estava em 38% e a reprovação em 57%. 

O pico da aprovação de Donald Trump desde que ele assumiu a presidência foi em abril de 2019, quando era aprovado por 56% e reprovado por 41%.