Nos EUA, 2 são presos após protestos violentos entre eleitores pró e anti-Trump


Da CNN
08 de setembro de 2020 às 09:43
Policial prende manifestante pró-Trump após confronto com ativistas

Policial prende manifestante pró-Trump após confronto com ativistas do Black Lives Matter em Salem

Foto: Carlos Barria - 07.set.2020 / Reuters

Duas pessoas foram presas após violentos protestos entre apoiadores do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e ativistas do movimento Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) na cidade de Salem, informou a Polícia do Estado de Oregon em um comunicado.

O incidente aconteceu na tarde dessa segunda-feira (7), em frente ao Capitólio Estadual do Oregon, em Salem.

O protesto aconteceu após a cidade de Portland, a pouco mais de 72 km de Salem, registrar sua 100ª noite consecutiva de manifestações desde a morte de George Floyd, em maio.

Assista e leia também:
De uma cama de hospital, Jacob Blake faz apelo: 'mudem suas vidas aí fora'
Los Angeles tem protesto após morte de ciclista negro em ação policial
Morte durante protestos em Portland: o que se sabe sobre o caso
Caso Jacob Blake: o que se sabe sobre o homem negro baleado nos EUA

Por meses, milhares de pessoas tomaram as ruas de Portland e ecoaram demandas vistas em todo o país: o fim da brutalidade policial e do racismo sistêmico. As manifestações voltaram a ganhar força após o episódio de Jacob Blake, em Kenosha, Wisconsin, em agosto.

Reunião de eleitores pró-Trump

Nessa segunda-feira, um repórter da CNN viu centenas de carros e caminhões com eleitores pró-Trump se reunirem em Oregon City para a caravana do Dia do Trabalho. Eles balançavam bandeiras, buzinavam e cantavam pneus. Mais tarde, diversos deles se dirigiram a Salem, onde era realizado o protesto do Black Lives Matter.

A caravana, que foi anunciada em um grupo no Facebook chamado “Oregon for Trump 2020”, surgiu mais de uma semana depois que outra caravana pró-Trump decidiu ir ao centro de Portland. Na ocasião, a multidão entrou em confronto com manifestantes do Black Lives Matter (Vidas Negras Importam) e um apoiador do grupo de direita foi baleado e morto.

Dias depois, enquanto os policiais realizavam uma prisão, atiraram fatalmente contra um homem suspeito de ser o responsável pelo assassinato. Pouco antes, ele se descreveu como “100% antifascista” e disse em uma entrevista que agiu em legítima defesa.

Confronto

Inicialmente, cerca de 150 pessoas foram a Salem para a manifestação pró-Trump, que atraiu de 30 a 50 contra manifestantes. Outras 45 a 60 pessoas chegaram em veículos da caravana e os grupos, um em cada lado da rua, começaram a entrar em confronto, disparando o que foi relatado como armas de paintball e outros projéteis uns nos outros, segundo um comunicado.

Os policiais prenderam dois manifestantes pró-Trump que estavam empurrando e agredindo pessoas do Black Lives Matter, segundo uma testemunha.

Os dois presos foram acusados de agressão, e um deles também de intimidação. Ambos foram posteriormente liberados, informou a Polícia de Oregon.

(Com informações de Tina Burnside, Samantha Guff e Aaron Cooper, da CNN, em Atlanta, e Reuters)