Presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez desiste da candidatura presidencial

Anúncio foi feito em um vídeo publicado nas redes sociais; eleições serão realizadas no dia 18 de outubro

Da CNN
18 de setembro de 2020 às 07:17 | Atualizado 18 de setembro de 2020 às 07:20
Jeanine Áñez, presidente interina da Bolívia
Foto: Reprodução - 17.set.2020 / Reuters

A presidente interina da Bolívia, Jeanine Áñez, anunciou nessa quinta-feira (17) que não disputará a presidência nas eleições de outubro.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, a líder disse que deixa a candidatura “diante do risco de que se divida o voto democrático entre vários candidatos e que a consequência dessa divisão seja a vitória do MAS”, em referência ao partido Movimento para o Socialismo, do ex-presidente Evo Morales.

Assista e leia também:
Bolívia: governo interino declara emergência nacional por incêndios
Bolívia: Tribunal Eleitoral mantém 18 de outubro como data limite para eleição
Bolívia encerra ano letivo por pandemia e falta de condições para ensino virtual

As eleições gerais na Bolívia serão realizadas no dia 18 de outubro.

Cenário eleitoral

O candidato socialista Luis Arce, do MAS, lidera as pesquisas de intenção de voto, seguido pelo ex-presidente centrista Carlos Mesa. No momento, Áñez ocupa o quarto lugar.

Ao se retirar da disputa presidencial, ela pode aumentar as chances de a eleição ser definida em um segundo turno, consolidando votos anti-Arce.

Para evitar um segundo turno, o candidato precisa vencer com ao menos 40% dos votos válidos na primeira rodada de votação e com uma vantagem de 10 pontos percentuais em relação ao segundo candidato.

De acordo com uma pesquisa recente, Arce tem 40,3% das intenções de voto, enquanto Mesa tem 26,2%, o conservador anti-Evo Luis Fernando Camacho tem 14,4%, e Áñez tem 10,66%.

(Com Reuters)