União Europeia não reconhece Lukashenko como presidente de Belarus

Em comunicado, bloco europeu destaca que processo eleitoral no país ‘não foi livre’ e que os ‘resultados foram falsos’

Henrique Andrade*, da CNN, em São Paulo
24 de setembro de 2020 às 17:13
Presidente de Belarus, Alexandr Lukashenko discursa em Minsk
Foto: Stringer/Reuters (16.ago.2020)

Em comunicado divulgado nesta quinta-feira (24), a União Europeia reiterou que não reconhece a eleição de Aleksandr Lukashenko como presidente de Belarus. Após a posse de Lukashenko nessa quarta-feira (23), a União afirmou que "o pleito de 9 de agosto não foi livre nem justo", e, por isso, não reconhece os "resultados falsos".

O bloco destacou que a posse contradiz "os numerosos e pacíficos protestos da população da Belarus". Segundo a agência Reuters, nesta quarta-feira (23), 364 pessoas foram detidas em manifestações registradas em todo o país. A polícia de Minsk, capital de Belarus, usou jatos de água para conter os protestos recentes.

Leia também:

Hackers vazam dados de mil policiais de Belarus em fim de semana de protestos

Putin promete crédito de US$ 1,5 bilhão a Belarus em encontro com Lukashenko

"Estamos impressionados e movidos pela coragem do povo de Belarus, que continua a se manifestar pacificamente pela democracia apesar da repressão brutal das autoridades", declarou a União em nota.

A reeleição de Lukashenko, que já está no poder há 26 anos, já foi criticada por diversos líderes mundiais. O porta-voz do governo alemão já declarou que não reconhece o atual governo de Belarus. A União Europeia afirmou que está "revisando suas relações com o país".

*Sob supervisão Evelyne Lorenzetii