Após mais de 100 mortes em enchentes, Vietnã se prepara para tempestade Saudel

"Essas inundações devastadoras são algumas das piores que vimos em décadas", disse Nguyen Thi Xuan Thu, presidente da Cruz Vermelha do Vietnã

De Julia Hollingsworth, da CNN
21 de outubro de 2020 às 04:37
Vietnã já registrou mais de 100 mortes em enchentes nos últimos dias
Foto: Twitter/ Reprodução


 Mais de 100 pessoas morreram e milhares de casas foram submersas em algumas das enchentes mais severas do Vietnã em décadas registradas nos últimos. Como agravante, utoridades alertam que o tempo deve permanecer chuvoso nos próximos dias.

O número de mortos em semanas de enchentes e deslizamentos de terra no centro do Vietnã subiu para 111, com 22 pessoas ainda desaparecidas, informou a agência Reuters nesta quarta-feira (21).

Leia também:
Tailândia volta a receber turistas enquanto protestos contra o governo seguem

Infestação de gafanhotos devora plantações na Etiópia, e ONU envia socorro

"Essas inundações devastadoras são algumas das piores que vimos em décadas", disse Nguyen Thi Xuan Thu, presidente da Cruz Vermelha do Vietnã, em um comunicado na terça-feira.

Mais de 7.200 hectares de plantações de alimentos foram submersos e danificados, e mais de 691.000 bovinos e aves foram mortos ou arrastados pelas enchentes, de acordo com a estatal Vietnam News Agency (VNA). Dezesseis rodovias nacionais e 161.880 metros de estradas locais em quatro províncias também foram danificados.

O país agora se prepara para a tempestade tropical Saudel, que se dirige para o Vietnã depois de atingir as Filipinas, onde causou enchentes e forçou milhares de residentes a evacuar.

Outubro é a estação das chuvas no Vietnã, mas por semanas o país foi atingido por um clima particularmente ruim que afetou a agricultura, irrigação e transporte.

No início do mês, tempestades e ondas de frio causaram chuvas e inundações nas cidades centrais e províncias do Vietnã, de acordo com a VNA. Mais de 250.000 famílias em seis províncias foram "inundadas", desde meados de outubro, e muitas áreas estão 2 ou 3 metros debaixo d'água, informou a a agência.

No início da semana, as equipes de resgate encontraram 14 corpos de 22 soldados que estavam desaparecidos depois que um deslizamento de terra engolfou um acampamento militar, de acordo com a VNA.

A região como um todo sofreu chuvas particularmente intensas em meio ao início de um sistema climático La Niña, caracterizado por temperaturas excepcionalmente baixas no Oceano Pacífico equatorial.